IDENTIFICAÇÃO DO PADRÃO DE DISTRIBUIÇÃO DE MACRÓFITAS AQUÁTICAS EMERGENTES NO BANHADO DO TAIM-RS-BRASIL, FRENTE A DIFERENTES CONDIÇÕES HIDROLÓGICAS

CRISTIANO NIEDERAUER DA ROSA, RUTINÉIA TASSI, DANIEL GUSTAVO ALLASIA PICCILLI, WATERLOO PEREIRA FILHO, JEAN RICARDO FAVARETTO, JÉSSICA RIBEIRO FONTOURA

Resumo


O Banhado do Taim, importante área úmida no sul do Rio Grande do Sul, Brasil ocupa cerca de 53% da área total da Estação Ecológica do Taim, uma Unidade de Conservação Federal. Sua bacia de contribuição tem seus usos compartilhados, principalmente entre a conservação da biodiversidade e irrigação. Esta última atividade altera o regime hidrológico do Banhado, característica fundamental para a manutenção da biodiversidade local. O presente trabalho avaliou, por meio de técnicas de Sensoriamento Remoto e Geoprocessamento, que incluíram o processamento digital e classificação de imagens multitemporais dos sensores TM e ETM do satélite Landsat, a influência das condições hidrológicas na dinâmica de Macrófitas Aquáticas Emergentes (MAE) no banhado. Para isso, foram selecionadas três espécies de MAE, Z. bonariensis, S. californicus e S. giganteus, consideradas indicadores biológicos, passíveis de identificação em imagens Landsat, que foram analisadas quanto a sua distribuição em condições hidrológicas de cheia, seca e normal. Os resultados indicam que as MAE S. californicus e Z. bonariensis são mais vulneráveis à condições de cheia pois, nesta situação, verificou-se, em algumas imagens, uma redução de 15,86% nas áreas de Z. bonariensis e a não ocorrência de S. californicus. Portanto, as alterações do regime hidrológico do Banhado do Taim (cheia e seca) alteram a distribuição das MAE e, consequentemente, a biodiversidade do local.


Palavras-chave


Sensoriamento Remoto; Macrófitas Aquáticas Emergentes; Áreas Úmidas; SIG.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank