ANÁLISE MICROFACIOLÓGICA DE UMA SEÇÃO EM TESTEMUNHO DA FORMAÇÃO COTINGUIBA, CRETÁCEO DA BACIA DE SERGIPE-ALAGOAS

Rodrigo Soares Monteiro da SILVA, Júlia FAVORETO, Jane Nobre LOPES, Leonardo BORGHI

Resumo


Na transição Cenomaniano–Turoniano registra-se mundialmente o maior evento de subida do nível eustático do Cretáceo. Insere-se nesse contexto a Formação Cotinguiba (Bacia de Sergipe-Alagoas), que resulta da transgressão responsável pela construção de uma rampa carbonática com talude distal, durante o afogamento do sistema plataformal sotoposto (até meados do Coniaciano). Essas unidades de grã fina distais constituem análogos aflorantes de potenciais rochas-selante das bacias da margem continental sudeste (e.g., Formação Outeiro, Bacia de Campos), o que torna sua análise faciológica importante para a caracterização tecnológica de sistemas petrolíferos em que participem. Logo, este estudo objetiva caracterizar microfaciologicamente uma seção de 100 m de extensão, em testemunho de sondagem da Formação Cotinguiba, associadamente ao contexto estratigráfico, a fim de: definir os atributos sedimentológicos diagnósticos da sua situação paleoambiental; e avaliar a evolução paleoambiental, registrada pela sucessão microfaciológica assim estabelecida. Para tanto, foi elaborado um perfil sedimentológico da referida seção, ao qual a análise petrográfica complementar atribuiu onze microfácies (definidas por critérios composicionais, texturais e paleontológicos). Estudos bioestratigráficos da mesma seção contribuem para a interpretação de que esta sucessão microfaciológica representa a progradação que modela a rampa carbonática, por fluxos gravitacionais ao longo do talude distal.


Palavras-chave


Microfácies; Formação Cotinguiba; Cretáceo; Bacia de Sergipe-Alagoas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank