MONITORAMENTO DA QUALIDADE DA ÁGUA E AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE DE AUTODEPURAÇÃO DO RIO LIGEIRO NO MUNICÍPIO DE PATO BRANCO – PR

Ezequias da LUZ, Julio Caetano TOMAZONI, Ticiane Sauer POKRYWIECKI

Resumo


Este estudo teve como objetivo realizar o monitoramento da qualidade da água para a avaliação da capacidade de autodepuração do Rio Ligeiro, desde uma das nascentes até a confluência com o Rio Chopim. Estabeleceram-se seis pontos de monitoramento (PM01 a PM06) ao longo do percurso. Foram realizadas coletas de amostras de água nas diferentes estações do ano de 2017, para análises de oxigênio dissolvido (OD), demanda bioquímica de oxigênio (DBO) e mensuração da temperatura. Além disso, foram realizadas medições hidrológicas em todos os PM. Com base nos resultados das análises laboratoriais realizou-se a calibração do modelo QUAL-UFMG para a avaliação da capacidade de autodepuração. A modelagem da qualidade da água, na campanha de inverno, foi a que apresentou maior grau de deterioração da qualidade da água, com baixos níveis de OD e elevada concentração de DBO, indicando que no período de estiagem reduz-se a capacidade de diluição frente aos despejos de efluentes. Conclui-se que o Rio Ligeiro se encontra deteriorado desde a nascente e que a sua capacidade de autodepuração apresenta condições críticas no período de menor vazão.


Palavras-chave


Qualidade da água; Autodepuração; Rio Ligeiro; QUAL-UFMG.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank