SUPERFÍCIES APLAINADAS EM ZONA MORFOCLIMÁTICA SUBTROPICAL ÚMIDA NO PLANALTO BASÁLTICO DA BACIA DO PARANÁ (SW PARANÁ / NW SANTA CATARINA): PRIMEIRA APROXIMAÇÃO

Julio Cesar PAISANI, Marga Eliz PONTELLI, Juliano ANDRES

Resumo


Este artigo apresenta superfícies aplainadas identificadas em zona morfoclimática subtropical úmida, no Planalto Basáltico da Bacia do Paraná - SW do Paraná e NW de Santa Catarina. Procedeu-se: a) descrições de formações superficiais em campo, verificando sua gênese autóctone ou alóctone; e b) distribuição espacial das superfícies em classes hipsométricas com eqüidistância de aproximadamente 100 m, a partir de mosaico gerado com dados do sensor orbital Shuttle Radar Topography Mission. Identificou-se oito remanescentes de superfícies aplainadas organizados em escadaria de leste para oeste, com até três níveis embutidos, entre as classes hipsométricas de 1.400 a 600 m e superfícies em elaboração em cotas < 600 m, na forma de ombreira nos fundos dos vales. Acredita-se que as superfícies foram elaboradas simultaneamente e fatores tectônicos tenham sido primordiais na elaboração do relevo em escadaria. É proposto modelo evolutivo hipotético para as superfícies aplainadas da área. Constata-se que: a) as superfícies aplainadas desenvolveram-se por processos de etch; b) a natureza dos derrames exerceram pouca influência no desenvolvimento das superfícies aplainadas; e c) o regime de clima subtropical úmido teve papel importante no estabelecimento da morfologia aplainada das superfícies na área de estudo, mesmo diante das mudanças climáticas registradas no Cenozóico.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank