AMBIENTES DEPOSICIONAIS E EVOLUÇÃO ESTRATIGRÁFICA DO CRETÁCEO SUPERIOR DA BACIA DOS PARECIS

Alessandro BATEZELLI, Francisco Sergio Bernardes LADEIRA, Mario Luis ASSINE

Resumo


Embora haja muitas publicações sobre as bacias cretácicas brasileiras, o entendimento sobre processos tectônicos e climáticos envolvidos na evolução das sequências continentais ainda carece de estudos, sobretudo aqueles relacionados à porção centro-oeste do país. A sequência sedimentar do Cretáceo Superior da Bacia dos Parecis, se assenta discordantemente sobre rochas vulcânicas das formações Anarí e Tapirapuã (Jurássico Inferior) e arenitos do Cretáceo Inferior da Formação Rio Ávila. É constituída por uma sucessão de estratos conglomeráticos e arenosos na base (Formação Salto das Nuvens) sobreposta por estratos arenosos no topo (Formação Utiariti). A partir da análise de fácies e arquitetura estratigráfica, foi elaborado um modelo paleoambiental e uma proposta de evolução que contempla aspectos tectônicos e climáticos dessa porção brasileira. Usando o conceito de nível de base estratigráfico e/ou a razão entre espaço de acomodação e suprimento sedimentar (A/S), foi identificado o padrão de empilhamento aluvial e eólico, que corresponde aos diferentes estágios da Tectônica Juruá. Os eventos de sedimentação que deram origem a sequência tiveram início após a gênese de uma discordância regional (Discordância K-1) entre o Cretáceo Precoce e Tardio. Durante o Cretáceo Tardio a Bacia dos Parecis abrigou um ciclo de sedimentação aluvial (Sequência 1A) e outro eólico (Sequência 1B). O primeiro registra o aumento na razão A/S onde se desenvolveram sistemas de leques retrabalhados por rios entrelaçados e dunas eólicas baixas (Trato de Sistema de Alta Acomodação - HST). Progressivamente o espaço de acomodação foi diminuindo, fazendo com que os depósitos aluviais fossem colmatados por campos de dunas (Trato de Sistema de Baixa Acomodação - LST). Nesse período a razão A/S tendeu a 1, chegando a ser negativa nos estágios finais, com possível by-pass sedimentar e gênese da Discordância K-2. A variação de fácies da base para o topo registra mudança nas condições de climáticas da bacia, passando de um ambiente mais úmido para mais seco. Dados de paleocorrentes indicam que o Alto de Tapajós ao norte da bacia esteve ativo, sendo a área fonte dos sedimentos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank