CICLOS E SEQÜÊNCIAS DEPOSICIONAIS DAS FORMAÇÕES RIO DA BATATEIRA E SANTANA (ANDAR ALAGOAS), BACIA DO ARARIPE, BRASIL

Joel Carneiro de Castro, Lúcia Maria Mafra Valença, Virginio Henrique de Miranda Lopes Neumann

Resumo


As formações Rio da Batateira e Santana, esta com os membros Crato, Ipubi e Romualdo (Andar Alagoas, Aptiano), são objeto deste trabalho, que se baseia em quatro poços testemunhados e perfilados, localizados na porção leste da Bacia do Araripe, Nordeste do Brasil. O intervalo analisado tem cerca de 230 m de espessura, e o poço PS-14 é o mais representativo, inclusive por ser o único que amostrou os evaporitos do Membro Ipubi. Foram identificados nove ciclos de fácies, sendo três de natureza siliciclástica (flúvio-estuarino, deltaico e lacustre), três de natureza mista (lacustre), dois de natureza orgânica-bioquímica (folhelho betuminoso e calcilutito laminado ou marga, lacustres), e um de origem química (anidrita, lacustre evaporítico). Por meio do ordenamento dos ciclos de fácies, foram caracterizadas seis seqüências deposicionais, formadas por ciclos siliciclásticos regressivo-transgressivos, R-T (seqüências S1 e S4, correspondendo às formações Rio da Batateira e Santana/Membro Romualdo), por ciclos siliciclásticos e carbonáticos R-T (seqüências S2, S3.1 e S3.2, correspondendo ao Membro Crato), e por ciclos mistos, carbonáticos e evaporíticos (seqüência S3.3, Membro Ipubi), estes correspondendo a ciclos R-T semelhantes ao anterior e mais ciclos de concentração-diluição C-D de salmouras marinhas que tiveram acesso à bacia lacustre.

Palavras-chave


Ambiente lacustre, ciclo de fácies, ciclo regressivo-transgressivo, ciclo evaporítico, estratigrafia de seqüências, Bacia do Araripe.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank