Caracterização Sedimentar e Tafonômica de Depósitos Bioclásticos na Reserva Tauá e Marina Búzios (Holoceno do Estado do Rio de Janeiro)

João Paulo Porto–Barros, Patrick Fuhr Dal’ Bó, Antonio Carlos Sequeira Fernandes, Leonardo Borghi

Resumo


O estudo sobre acumulações bioclásticas tem aumentado nos últimos anos, devido à sua grande fonte de informações sedimentar, tafonômica e paleoambiental. Entretanto o conhecimento sobre as características de feições associadas com ambiente meteórico em acumulações bioclásticas não é completamente compreendido. O objetivo deste estudo é o reconhecimento de feições de alteração superficial, integrando a identificação taxonômica com análises sedimentológicas e tafonômicas, que ocorrem em conchas de moluscos de depósitos holocênicos da planície costeira do estado do Rio de Janeiro. O depósito Reserva Tauá é composto por uma matriz lamosa com biotrama densa e com 54% das conchas com concavidades voltadas para baixo. A Marina Búzios é composta por uma matriz de areia com biotrama densa a frouxa e 65% das concavidades voltadas para cima. As análises tafonômicas mostraram que os depósitos possuem fracas alterações tanto físicas e químicas, entretanto o pavimento exposto da Reserva Tauá propiciou uma alteração de caráter microbiana, observado pelas microperfurações nas conchas. Apesar da bioestabilização do depósito da Reserva Tauá já ocorre há algumas centenas de anos, a evolução dos processos pedogenéticos é limitada pela proximidade com o lençol freático.


Palavras-chave


Alteração meteórica; Tafonomia; Holoceno; Mollusca.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.11137/2017_2_220_233

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank