DIAGNÓSTICO HIDROGEOQUÍMICO NA BACIA DO GUAPIRIMIRIM-MACACU (RJ)

VICTOR CESAR RIBEIRO PEREIRA, CÍCERA NEYSI ALMEIDA, TELMA MENDES DA SILVA

Resumo


Com as perspectivas atuais relacionadas à poluição da água no Brasil e no mundo, pesquisas sobre a qualidade da água têm sido frequentemente realizadas, sobretudo para o abastecimento da população. Este trabalho tem por objetivo apresentar um diagnóstico sobre a bacia do Guapimirim-Macacu, situada na área de influência da região metropolitana da cidade do Rio de Janeiro, no qual as informações sobre a qualidade hidrogeoquímica das águas constituem dados que auxiliam o gerenciamento dos recursos hídricos locais. Os dados brutos, analíticos e os valores máximos permissíveis obtidos, foram organizados em um banco de dados e representados em ambiente de geoprocessamento que permitiu analisar com maior detalhe a bacia. As análises químicas referentes aos cátions (Na, K, Ca, Mg, Fe, Mn, Pb, Cu e Zn) nos permitiram identificar que apenas o Fe e o Mn ultrapassaram os limites da legislação vigente em todos os pontos de amostragem, e que esses elementos são de ocorrência natural decorrente da oxidação dos minerais de ferro. Os teores referentes aos ânions (F-, Cl-, Br-, NO3-, PO43-, SO42- e HCO-3) permitiram classificar as águas da bacia estudada principalmente como bicarbonatadas. Os valores de Índice de Qualidade de Água para a bacia Guapimirim-Macacu variaram entre 36 - 64 (razoável a péssima) o que torna o uso da água dessa bacia para abastecimento humano uma atividade onerosa.


Palavras-chave


Índice de Qualidade da Água; Hidrogeologia; Recurso Hídrico; Sistema de Informação Geográfica.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.11137/2017_3_82_93

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank