SENSORIAMENTO REMOTO E COMPONENTES LIMNOLÓGICOS NA CARACTERIZAÇÃO DE LAGOAS DO PANTANAL DA NHECOLÂNDIA, MATO GROSSO DO SUL

ANA PAULA GARCIA OLIVEIRA, JONAS DE SOUSA CORREA, MARIA LÚCIA RIBEIRO, BRUNA SEMLER DE ALMEIDA, CAMILA LEONARDO MIOTO, EDILCE DO AMARAL ALBREZ, NORMANDES MATOS DA SILVA, ANTONIO CONCEIÇÃO PARANHOS FILHO

Resumo


A limnologia aplicada a pesquisas em áreas inundáveis vem crescendo no Brasil. Nesse sentido, esta pesquisa buscou associar dados de sensoriamento remoto e variáveis limnológicas obtidas em campo para distinguir as lagoas no Pantanal da Nhecolândia, região a qual apresenta um sistema lacustre vasto e variado, com lagoas do tipo baías e salinas. Foram coletadas 32 amostras distribuídas em 31 lagoas e um ponto no Rio Negro, ao longo de duas campanhas de campo realizadas em agosto/2012 e setembro/2013, no período de seca do Pantanal. As variáveis estudadas foram: salinidade total (PPT), pH, alcalinidade e dureza. Para a diferenciação das lagoas em baías e salinas, gerou-se um banco de dados em ambiente SIG (sistemas de informações geográficas), onde foram associadas as variáveis limnológicas obtidas à imagem do satélite ALOS, sensor AVNIR-2 (IBGE, 2008), na composição falsa-cor R4G2B3. Como resultados, das lagoas amostradas, 20 foram classificadas em baías e 11 em salinas. A utilização das imagens ALOS AVNIR-2 mostraram-se importantes para estudos relacionados à biodiversidade e conservação do Pantanal, por permitirem diferenciar sistemas lacustres no Pantanal e otimizar os trabalhos de campo, que costumam ser dispendiosos em termos de tempo e recursos financeiros.


Palavras-chave


Sensoriamento remoto; Baía; Salina; Limnologia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.11137/2017_3_159_169

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank