EVOLUÇÃO PALEOAMBIENTAL DE LAGUNAS DA RESTINGA DE JURUBATIBA, ESTADO DO RIO DE JANEIRO

MARIANA CARDOSO MACEDO, CLAUDIA GUTTERRES VILELA, NATHALIA DOS SANTOS LABRE, MARIANA CHRISTENSEN LOURENÇO

Resumo


O objetivo do presente trabalho consiste em observar mudanças paleoambientais das lagunas da Restinga de Jurubatiba (RJ) através da análise de foraminíferos bentônicos.   Foram coletados seis testemunhos (vibra-cores) de até 1,56cm de profundidade distribuídos nas lagunas Garças, Maria Menina, Robalo, Visgueiro, Catingosa e Pires. Os testemunhos com sedimentos predominantemente arenosos (Garças, Maria Menina e Robalo) apresentaram menor riqueza de espécies e abundância de foraminíferos do que os testemunhos com sedimentos mais finos (Catingosa, Visgueiro e Pires). Quatro biofácies de foraminíferos foram reconhecidas e refletiram episódios de condições evolutivas ambientais diferentes. Nas lagunas arenosas a biofácies Ammonia/ Elphidium foi associada a moderada influência marinha e a biofácies Trochammina inflata/ Aglutinantes representando confinamento das lagunas. Nas lagunas lamosas foi presente a biofácies Ammonia spp./Elphidium spp./Haynesina germanica associada a espécies calcárias marinhas sugerindo paleoambientes com alta influência marinha e a biofácies A. tepida/ A. parkinsoniana refletindo baixa influência marinha e condições propícias a espécies oportunistas. Datações radiocarbônicas permitiram registrar no processo de evolução das lagunas fases de submersão holocênica relacionadas com momentos de transgressões marinhas.


Palavras-chave


Foraminíferos; Lagunas; Holoceno; Oscilação do nível do mar.

Texto completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.11137/2017_3_266_280

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank