ESTUDO AEROMAGNETOMÉTRICO E MORFOTECTÔNICO DA SUB-BACIA OLINDA, BACIA PARAÍBA, E DO EMBASAMENTO ADJACENTE

JOÃO GABRIEL DE OLIVEIRA TOPAN, MÁRIO LIMA FILHO

Resumo


A prospecção de óleo e gás no Brasil teve vários pulsos de investimento e estudos. A primeira bacia a ser vastamente estudada foi a Bacia do Recôncavo, tratando-se de uma bacia onshore. Com isso as bacias onshore foram estudadas com grande entusiasmo. Porém, a Bacia Pernambuco (BPE) e a Bacia Paraíba (BPB) não tiveram o mesmo investimento em estudos, tendo nas décadas de 80 apenas um poço em cada. Com os rounds do petróleo a BPE teve a prospecção aumentada, com linhas sísmicas onshore e offshore, poços e trabalhos diversos. Enquanto a BPB ficou esquecida. Como parte final da quebra entre os continentes Sul Americano e Africano, a BPB precisa de novos estudos e investimentos para a compreensão da evolução tectônica e estratigráfica do norte da margem leste brasileira. O presente trabalho tem como intuito as análises superficiais e subsuperficiais da Sub-bacia Olinda-BPB, fazendo a comparação dos dados de sensor remoto e aeromagnetometria. Com intuito de subdividir a Sub-bacia Olinda e compreender a relação das principais estruturas do embasamento e sua interferência na bacia.


Palavras-chave


Bacia Paraíba; Aeromagnetometria; SRTM; Bacia Pernambuco; Lineamentos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.11137/2017_3_281_293

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank