Mapeamento do Gelo Marinho na Península Antártica com Imagens Sentinel 1A

Fernando Luis Hillebrand, Cristiano Niederauer da Rosa, Juliana Costi, Ulisses Franz Bremer

Resumo


O gelo marinho atua como isolante térmico e na sua ausência o oceano fica livre para emitir calor à atmosfera, provocando alterações na circulação oceânica. O sensoriamento remoto da cobertura de gelo marinho compreende várias técnicas e opera em uma ampla faixa de frequências no espectro eletromagnético. Este trabalho propôs a classificação e identificação de áreas livres de gelo marinho por meio de imagens SAR na banda C, através do satélite Sentinel 1A, sob polarização HH e modo de imageamento IW. Realizou-se a classificação supervisionada pelo método Random Forest, com treinamento das amostras através da análise de textura com imagens ópticas do Sentinel 2, classificação não supervisionada K-Means e análise de co-polarizações HH/HV em imagens Sentinel 1B, sob modo de imageamento EW. Foram identificados coeficientes de retroespalhamento entre -10,2 a -13,5 dB para young ice e/ou first-year ice, -17,5 a -19,6 dB ao new ice e -23,7 a -26,8 dB a open water na região oeste da Península Antártica, no período do inverno austral.


Palavras-chave


Classificação; Retroespalhamento; RADAR.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.11137/2019_2_59_71

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank