Análise multivariada de dados ecológicos da baía de Guanabara- RJ, com base em foraminíferos bentônicos

Priscila Tavares dos Santos, Claudia Gutterres Vilela, José Antônio Baptista Neto, Antônio Enrique Sayão Sanjinés, Yanira del Carmen Pineda Aldana, Marcos da Silveira Pugirá

Resumo


A baía de Guanabara é um ambiente estuarino situado no litoral do estado do Rio de Janeiro, sob as coordenadas 22º 40' e 23º 00'S e 43º 00' e 43º 20'W. Atualmente, possui uma área de aproximadamente 377 km², tendo sofrido uma redução de 91 km² desde o descobrimento do Brasil, sendo considerada uma das regiões costeiras mais poluídas do país. O monitoramento ambiental da baía de Guanabara torna-se cada vez mais necessário, a fim de que se possam tomar medidas eficazes na sua gestão. Nesse sentido, o uso de organismos bioindicadores, como os foraminíferos, é uma excelente ferramenta, pois eles respondem rapidamente a mudanças ambientais. O objetivo deste trabalho é aplicar aos dados bióticos (foraminíferos bentônicos) análises estatísticas, com o objetivo de observar como eles se comportam na baía de Guanabara. Em novembro de 1999, foram coletadas amostras de sedimento de fundo ao longo da baía de Guanabara, das quais 52 amostras distribuídas por toda a baía foram utilizadas neste estudo. Estas foram tratadas e classificadas de acordo com a metodologia padrão para foraminíferos. Para a ecologia numérica foram realizadas análise de agrupamento e análise de espécie indicadora (ISA), usando os programas Statistica 6.0 e PCORD. Através da análise de agrupamento, observou-se a formação de grupos tanto para as amostras quanto para as espécies. O ISA demonstrou que a melhor espécie para indicar o atual estado da baía de Guanabara é a Ammonia tepida. As análises ecológicas multivariadas tiveram uma ótima resposta na avaliação dos padrões de poluição da Baía de Guanabara, com base em foraminíferos bentônicos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank