Biodisponibilidade da Matéria Orgânica dos Sedimentos Superficiais da Baía de Guanabara, Rio de Janeiro, Brasil

Frederico Sobrinho Silva, José Augusto Pires Bitencourt, Fernanda Savergnini, Leandro Viana Guerra, José Antônio Baptista-Neto, Mirian Araújo Carlos Crapez

Resumo


Foram coletadas 30 amostras de sedimentos superficiais na Baía de Guanabara, com o objetivo de identificar novos descritores de estado trofico e qualidade ambiental do ecossistema costeiro, usando análises bioquímicas para quantificar e qualificar a matéria orgânica sedimentar e o metabolismo bacteriano. Foram analisados a granulometria, teor de matéria orgânica, teores de proteínas, carboidratos, lipídeos, cabono biopolimérico, carbono biodisponível e atividade metabólica bacteriana. Os resultados mostraram uma distribuição espacial homogênea para a teia bacteriana anaeróbia e os biopolímeros (carboidratos>;lipídeos>;proteínas). O NE da Baía apresentou teores de lipídeos acima de 1 mg/g de sedimento, indicativo de aporte de esgoto orgânico. A distribuição espacial dos sedimentos superficiais em relação às variáveis não apresentou significância (p>;0,05). Os biopolímeros e a matéria orgânica apresentaram correlação significativa com a granulometria média de 80% dos finos. Apesar da disponibilidade de matéria orgânica lábil, sob a forma de carbono biopolimérico, o carbono disponível para a teia trófica está em torno de 50%. O consórcio bacteriano formado por bactérias sulfato redutoras e desnitrificantes sustentam a teia trófica bêntica da Baía de Guanabara.

Texto completo:

PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank