Solos: Subsídio Para Estudos de Geologia de Engenharia

Franklin dos Santos Antunes, Helena Polivanov, Hugo Portocarrero, Tácio Mauro Pereira de Campos

Resumo


O objetivo deste texto foi abordar de forma simplificada e multidisciplinar, sob o ponto de vista da geologia de engenharia, as variáveis envolvidas na formação de solos residuais, transportados, orgânicos, expansivos e lateríticos, contribuindo para uniformizar conceitos de solos de interesse geotécnico. Foram também apresentados e discutidos dados químicos e mineralógicos de cinco perfis, cujos respectivos solos residuais jovens ou saprolíticos foram formados pela ação dos processos intempéricos sobre rochas metamórficas gnáissicas em ambiente climático tropical e subtropical. Os solos residuais jovens desenvolvidos a partir destas rochas, além de serem comuns no estado do Rio de Janeiro, apresentam espessuras superiores a 10 metros, estando associados a grandes deslizamentos e movimentos de massa ocorridos nos últimos 50 anos tanto no referido estado quanto em outros. O artigo destaca por fim que a presença de heterogeneidades reliquiares presentes nos solos residuais jovens ou saprolíticos e herdadas das respectivas rochas de origem, não devem ser descartadas em análises de estabilidade de taludes e encostas naturais e em projetos de fundações.

Palavras-chave


Formação de solos; Perfis de alteração; Solos residuais; Análises mineralógicas

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.11137/2015_1_180_198

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank