Percepção populacional dos efeitos socioeconômicos do geoturismo: o caso de São José de Itaboraí (Itaboraí, Estado do Rio de Janeiro)

Wellington Francisco Sá dos Santos, Ismar de Souza Carvalho

Resumo


O Parque Paleontológico de São José de Itaboraí foi construído em 1995 com o objetivo da geoconservação do patrimônio geológico local. Atualmente a instituição passa por um processo de revitalização, o que poderá elevar o número de geoturistas e contribuir para o desenvolvimento socioeconômico de São José de Itaboraí. Contudo, para que uma atividade turística seja realizada de maneira sustentável é importante que não ocorram impactos ambientais na comunidade receptora. Nesse contexto buscou-se entender, por meio de entrevistas, a percepção populacional dos possíveis efeitos socioeconômicos do geoturismo. Os entrevistados comentaram da possibilidade de aumento dos empregos no comércio e no interior do Parque Paleontológico de São José de Itaboraí para atender ao geoturismo. Afirmaram que as estradas de acesso ao parque paleontológico, os transportes públicos, a educação e o saneamento básico do bairro necessitam de melhorias. Indicaram o lixo como o principal impacto ambiental da atividade geoturística. O estudo analisa estratégias de geoconservação e musealização do patrimônio geológico, planejamento e ordenamento do território, programas de educação popular e a importância socioeconômica do geoturismo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.11137/2012_1_242_251

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank