Simulação Numérica em Alta Resolução nas Ilhas Shetland do Sul, Antártica, Usando WRF

Alcimoni Nelci Comin, Otávio Costa Acevedo, Ronald Buss de Souza

Resumo


Este artigo apresenta simulações de alta resolução com o modelo Weather Research and Forecasting (WRF) para a Ilhas Shetland do Sul, na Antártica. Os dados observados são coletadas pelos sensores instalados no navio Polar durante o transecto nesta região. Este estudo incluiu quatro simulações diferentes; variando o número de pontos de grade no domínio interno entre 127 x 127 e 187 x 187 e duas configurações de microfísica.  As simulações para a temperatura do ar e ponto de orvalho são altamente dependente do número de pontos de grade do domínio interno. Quando o domínio com 127 pontos é usado o modelo reproduz flutuações abruptas dessas variáveis e altas subestimativas em ambas as configurações. Isto pode ser atribuído à sensibilidade associada à transferência de informações entre as diferentes grades aninhadas. Com a expansão da grade interna em 187 pontos as flutuações deixam de ocorrer. A subestimativa das temperaturas no modelo WRF também é associada com a deficiência na representação de nebulosidade estratiforme. Nos dias com nebulosidade média o modelo simula melhor essas variáveis.  Já a pressão é adequadamente simulada com os dois domínios e é mais dependente de padrões climáticos de grande escala derivadas do modelo global. As pequenas diferenças na pressão são devido ao ajuste dinâmico do modelo. O esquema microfísico WSM5 apresenta resultados melhores que o WSM3 para todas as variáveis testadas aqui.

Palavras-chave


WRF; Alta resolução; Ilhas Shetland do Sul; Navio Polar.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.11137/2016_3_105_110

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank