Geologia, petrologia e geocronologia (Pb-Pb) da Formação Serra da Bocaina: evidências de um Arco Magmático Orosiriano no Terreno Rio Apa, sul do Cráton Amazônico

Ana Flávia Nunes Brittes, Maria Zélia Aguiar de Sousa, Amarildo Salina Ruiz, Maria Elisa Fróes Batata, Jean-Michel Lafon, Dalila Pexe Plens

Resumo


Neste trabalho apresentam-se os resultados do mapeamento geológico e caracterização petrológica da Formação Serra da Bocaina, pertencente ao Arco Magmático Amoguijá do Terreno Rio Apa, sul do Cráton Amazônico. A Formação Serra da Bocaina, na serra da homônima, consiste de rochas vulcânicas paleoproterozoicas de composição intermediária a predominantemente ácida, classificadas como andesito e riolitos, subdivididas em cinco fácies petrográficas sendo quatro piroclásticas e uma efusiva, que mantêm contato tectônico, a leste, com o Granito Carandá. Nas rochas estudadas estruturas tectônicas são formadas em duas fases deformacionais compressivas de natureza dúctil e dúctil-rúptil, respectivamente. A primeira fase, mais intensa, é observada ao longo de toda a área estudada e é responsável pela Zona de Cisalhamento Santa Rosa enquanto a segunda fase é mais discreta e localizada. O tratamento geoquímico indica que essas rochas foram geradas num ambiente de arco-vulcânico a partir de um magmatismo calcioalcalino de médio a alto-K, peraluminoso. Estas rochas retratam um evento magmático extrusivo, de natureza explosiva, relacionado à evolução do Arco Magmático Amoguijá, conforme resultado Pb-Pb em zircão de 1877,3 ± 3,9 Ma., interpretada como idade de cristalização destas rochas.

Texto completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5327/Z2317-48892013000100006

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank