Mudanças no nível do mar durante o Pleistoceno Tardio registradas em depósitos fluviais e influenciados por maré da Formação Itaubal, porção onshore da Bacia da Foz do Amazonas, Brasil

Isaac Salém Salém Alves Azevedo Bezerra, Afonso César Rodrigues Nogueira, José Tasso Felix Guimarães, Werner Truckenbrodt

Resumo


Depósitos pleistocenos expostos na Planície Costeira do Amapá (porção onshore da Bacia da Foz do Amazonas, nordeste da América do Sul) foram anteriormente interpretados como de idade miocena. Neste trabalho, esses depósitos foram chamados de “Formação Itaubal” e incluídos na evolução costeira quaternária da Amazônia. O estudo, mediante o uso de análise de fácies e estratigrafia em combinação com luminescência opticamente estimulada (regeneração de alíquotas simples e múltiplas), permitiu posicionar essa unidade no Pleistoceno Tardio, interpretada como depósitos fluviais e influenciados por maré. A Formação Itaubal, que sobrepõe discordantemente rochas intensamente intemperizadas do embasamento do Escudo das Guianas, foi subdivida em Unidade Inferior e Superior, de caráter progradante, separadas por desconformidade relacionada à queda do nível do mar. A Unidade Inferior apresenta idades entre 120.600 (± 12.000) e 70.850 (± 6.700) anos AP e consiste de depósitos de submaré, canal fluvial meandrante influenciado por maré e depósitos de planície de inundação, depositados durante condições de nível de mar alto. A Unidade Superior apresenta idades entre 69.150 (± 7.200) e 58.150 (± 6.800) anos AP e é caracterizada por depósitos de canal entrelaçado, que retrabalham a Unidade Inferior, depositada em condições relacionadas à queda do nível de base. Condições de nível de mar baixo permaneceram até 23.500 (± 3.000) anos AP. A região estudada foi provavelmente exposta durante o Último Máximo Glacial e, posteriormente, durante o Holoceno, recoberta por depósitos influenciados por maré oriundos do Rio Amazonas.

Palavras-chave


Amazônia; Pleistoceno; Mudanças no nível do mar; Depósitos costeiros; Formação Itaubal.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.1590/2317-4889201530124

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank