Cronologia dos campos de dunas da costa central catarinense e a influência do nível relativo do mar e das mudanças climáticas

Vinícius Ribau Mendes, Paulo César Fonseca Giannini, Carlos Conforti Ferreira Guedes, Regina DeWitt, Helena Asmar de Abreu Andrade

Resumo


A formação e estabilização de campos de dunas costeiros têm sido explicadas de maneiras contrárias ao longo das últimas décadas: enquanto alguns autores acreditam que a formação das dunas seria favorecida pelo nível do mar descendente, outros autores defendem que o contexto de nível do mar estável seria mais favorável à sua formação. No caso dos campos de dunas costeiros do Brasil, a segunda hipótese parece ser mais consistente com as idades de luminescência obtidas até o momento; no entanto, a maior parte desses dados foi obtida sem o uso do protocolo SAR (Single Aliquot Regenerative dose). Outra questão em aberto seria qual o papel exercido pelas mudanças climáticas no sistema eólico. Este artigo tenta clarear essas duas questões, e para essa finalidade foram escolhidos cinco campos de dunas na costa central catarinense. Os dados de sensoriamento remoto e das datações absolutas permitem a discriminação e mapeamento de pelo menos quatro gerações eólicas. A distribuição das idades encontradas em relação à curva global de variação do nível do mar permite sugerir que a formação dos campos de dunas estaria relacionada com nível do mar estável. Contudo, o nível relativo do mar não é a única variável determinante no sistema eólico costeiro. Foram encontradas evidências de controle climático, e a formação das dunas estaria ligada a períodos de menor precipitação enquanto sua estabilização ocorreria em momentos de intensificação das chuvas, ocasionados por aumento nas atividades das monções.

Palavras-chave


 Datações LOE-SAR; Estabilização de dunas; Gerações eólicas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.1590/2317-4889201530143

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank