Evolução estratigráfica da Sequência Neocarbonífera-Eotriássica da Bacia do Parnaíba, Brasil

Éverton Nóbrega Barbosa, Valéria Centurion Córdoba, Debora do Carmo Sousa

Resumo


A Sequência Neocarbonífera-Eotriássica corresponde ao terceiro grande ciclo sedimentar da Bacia do Parnaíba e concerne litoestratigraficamente ao Grupo Balsas. Essa sequência é descrita como um conjunto de rochas cujos sedimentos foram depositados em um ambiente complexo, clástico/evaporítico de mar raso, gradando para um ambiente lacustre/ desértico. O principal objetivo deste trabalho foi realizar uma análise estratigráfica da Sequência Neocarbonífera-Eotriássica, visando uma melhor compreensão da sua evolução. Tal análise teve por base dados de poços e algumas seções sísmicas. Para o intervalo estratigráfico em questão foram identificadas três sequências deposicionais. A Sequência 1 corresponde a rochas que foram depositadas inicialmente a partir de um sistema fluvial, que passa para um sistema marinho raso implantado durante uma fase transgressiva e, posteriormente, evolui para um sistema deltaico. A Sequência 2 corresponde a rochas que foram depositadas a partir de um sistema deposicional lacustre/desértico, representando uma fase regressiva importante que culmina com a implantação de um sistema desértico, o qual corresponde à Sequência 3. Na análise sismoestratigráfica foi possível reconhecer as superfícies cronoestratigráficas e os tratos de sistemas identificadas em poços e analisar a sua expressão lateral. De modo geral, as sismofácies reconhecidas nas seções sísmicas apresentam-se com configurações paralelas a subparalelas, com grande continuidade lateral, sugerindo uma homogeneidade nas taxas de sedimentação durante a deposição dessas sequências, nesse setor da bacia.


Palavras-chave


Estratigrafia de Sequências; Sismoestratigrafia; Sinéclise Paleozoica.

Texto completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.1590/2317-4889201620150021

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank