Evidências de enriquecimento mantélico em rochas gabro-monzoníticas de casserengue (PB) no extremo nordeste da província Borborema

Marcos Antonio Leite Nascimento, Zorano Sérgio Souza, Antonio Carlos Galindo, Maria Helena Bezerra Maia de Hollanda, Marcio Martins Pimentel

Abstract


A Suíte Gabro-Monzonítica de Casserengue (SGMC) está localizada na porção sudeste do Maciço São José de Campestre (MSJC). Esta suíte é formada por um corpo elíptico alongado na direção NE-SW, com uma área de aproximadamente 27 km': Petrograficamente, suas rochas são formadas por orto e clinopiroxênio, biotita ricas em Ti, além de anfibólio cálcico, titanita, ilmenita, allanita e zircão_ As rochas da SGMC possuem SiO2 entre 53,0 and 58,3%, além de altos contea­dós de Al203, Mg0 e CaO, e apresentam consideráveis quantidades de Na20 e K20, mesmo nos termos mais prirnitivos. Eles são inetaluminosos e transicionais entre séries alcalina e sub-alca­lina, seguindo o trend shoshonítico_ Seus espectros de ETR mostram anomalia ligeiramente ne­gativa de Eu e são enriquecidos em ETRL, com La e Yb normalizados variando entre 200 a 500 e 10 a 20, respectivamente. A integração dos dados de campo, petrográficos e geoquímicos suge­re que a gênese e evolução deu-se em um estágio tardi- a pós-colisional da Orogênese Brasiliana. A relação entre ENd (600 Ma), TOM (Nd) e as feições geoquímicas observadas sugerem, para a SGMC, uma origem a partir de um manto metassomatisado, enriquecido em ETRL, Ba, Sr e Zr

Full Text:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21715/gb.v16i1.498

Refbacks

  • There are currently no refbacks.