A ESTEREOSCOPIA COM IMAGENS RADARSAT-1: UMA AVALIAÇÃO GEOLÓGICA NA PROVÍNCIA MINERAL DE CARAJÁS

ATHOS RIBEIRO DOS SANTOS, WALDIR RENATO PARADELLA, PAULO VENEZIANI, MARIA CAROLINA DE MORAIS

Resumo


Este trabalho discute os conceitos relacionados à estereoscopia de radar e os aspectos que a influenciam. Diferentemente da estereoscopia óptica, a de radar necessita que se busque um equilíbrio entre as diferenças geométricas (paralaxes) e as similaridades radiométricas (visibilidade estereoscópica) das cenas do par. Alguns autores ainda discutem o nível de aplicabilidade da estereoscopia de ra- dar, devido às dificuldades de percepção de profundidade, sob certas condições de relevo do terreno e de geometria de iluminação das cenas do par. São apresentados os resultados obtidos na região da Província Mineral de Carajás, através da análise de seis pares estereoscópicos, formados por imagens RADARSAT-1, em diferentes modos Standard (S5, S6 e S7) e azimutes de iluminação (78 e 282°). Os pares foram avaliados em diferentes tipos de relevo/geologia. Os resultados demonstraram a efetiva contribuição e aplicabilidade da estereoscopia de radar, quando são considerados aspectos que a influenciam e a experiência do intérprete neste tipo de abordagem.

Palavras-chave


Sensoriamento remoto geológico; Estereoscopia de radar; RADARSAT-1; Província Mineral de Carajás.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.