COMPORTAMENTO ELÁSTICO DINÂMICO DA FORMAÇÃO SÃO PAULO

FÁBIO TAIOLI

Resumo


A cidade de São Paulo é, sem dúvida, a maior concentração urbana do Brasil. A necessidade de oferecimento de infraestrutura básica à crescente população tem obrigado, a exemplo de outros grandes centros urbanos, uma maior utilização do espaço subterrâneo, apesar das dificuldades inerentes a tal opção. O objetivo deste artigo é o de analisar as propriedades elásticas dinâmicas dos materiais presentes na Formação São Paulo, considerando-se os novos conhecimentos da geologia da Bacia Sedimentar de São Paulo e suas formações. Foram analisados estatisticamente dados obtidos em medidas in situ, procurando correlacionar as velocidades de propagação das ondas P e S, tanto em termos de profundidade como em altitude. Os dados analisados apresentaram boa correlação linear entre as velocidades das ondas P e S, com coeficientes de Pearson da ordem de -0,8 com relação à altitude e variando de O, 57 a 0,98 com relação à profundidade. As maiores dispersões observadas podem ser correlacionadas à presença de crostas limoníticas em dois horizontes distintos.

Palavras-chave


Dinâmico; Elástico; Formação São Paulo; Crosshole; Velocidades sísmica.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.