GEOQUÍMICA E ASPECTOS PETROGENÉTICOS DO GRANITO XINGUARA, TERRENO GRANITO-GREENSTONE ARQUEANO DE RIO MARIA - CRÁTON AMAZÔNICO

ALBANO ANTÓNIO DA SILVA LEITE, ROBERTO DALL'AGNOL, FERNANDO JACQUES ALTHOFF

Resumo


O Granito Xinguara, um corpo granítico Arqueano situado na porção norte do Terreno Granito-Greenstone de Rio Maria, sudeste do estado do Pará, é intrusivo em granitóides e gnaisses TTG e no Granodiorito Rio Maria. O Granito Xinguara exibe uma marcante homogeneidade composicional, sendo formado essencialmente por leucomonzogranitos metaluminosos a ligeiramente peraluminosos com altos teores de SiO2 e álcalis, elevadas razões K2O/Na2O, baixos teores médios de MgO e moderados de CaO, havendo, ainda, granitos pegmatóides e leuco-sienogranitos subordinados. A fácies leucomonzogranito foi subdividida com base nos dados geoquímicos nos tipos LMG1 e LMG2, cujos teores de SiO2 se superpõem. Entretanto, os LMG2 são empobrecidos em Al2O3s, MgO, CaO e Na2O e enriquecidos em K2O, Rb, Zr e Y, quando comparados aos LMG1. Em diagramas geoquímicos os LMG1 e LMG2 definem trends evolutivos contrastantes, indicarão que cristalizaram a partir de líquidos distintos. O comportamento dos elementos litófilos sugere que o fracionamento de feldspato potássico, plagioclásio e biotita controlou a evolução por cristalização fracionada dos magmas do pluton Xinguara. O fracionamento de feldspatos é indicado também pelas expressivas anomalias negativas de Eu (Eu/Eu*, variando de 0,28 a 0,38 nos LMG1). Os LMG1 mostram, em geral, acentuado empobrecimento em terras raras pesados (Lan/Ybn, variando de 149,07 a 16,63) causado, provavelmente, pela retenção de granada e/ou anfíbólios no resíduo de fusão. O acentuado fracionamento de terras raras pesados, o empobrecimento em Y, Ti e Nb, paralelamente ao enriquecimento em P e Sr, comparativamente à composição média da crosta continental superior, bem como os altos valores das razões Rb/Y e Ah2O3/TiO2, apontam para uma similaridade dos leucogranitos Xinguara com os leucogranitos cálcico-alcalinos arqueanos do tipo 2. Os dois tipos de leucogranitos Xinguara provavelmente foram derivados a partir de diferentes graus de fusão parcial de uma mesma fonte crustal, possivelmente similar aos granitóides e gnaisses TTG ou afim ao Granodiorito Rio Maria

Palavras-chave


Leucogranitos; Cálcico-alcalinos; Arqueano; Geoquímica; Petrogênese; Craton Amazônico.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.