FÁCIES GLACIOCONTINENTAIS (OUTWASH PLAIN) NA MEGASSEQUÊNCIA MACAÚBAS ,(SERRA DA ÁGUA FRIA/MG) E SEU CONTEXTO TECTÔNICO

MARCELO A. MARTINS-NETO, NEWTON SOUZA GOMES, CÍZIA M. HERCOS, LUCIANA A. REIS

Resumo


Este trabalho apresenta os resultados da integração de estudos de fácies sedimentares, arquitetura deposicional, petrologia sedimentar e paleogeografïa em arenitos associados aos diamictitos Jequitaí, pertencentes à base da Megaseqüência Macaúbas, aflorantes na Serra da Água Fria, centro-norte de Minas Gerais. Os dados apresentados permitem interpretar os depósitos estudados como produtos de um sistema fluvial entrelaçado proglacial (outwash plairi), que evoluiu na direção NNE. Os dados de paleocorrente, quando analisados em conjunto com dados relativos à borda oeste da Serra da Água Fria, indicam a existência de um alto estrutural sindeposicional na região da Serra da Água Fria que, sob a atuação de geleiras e de ciclos sazonais de gelo e degelo, forneceu os sedimentos (a maioria provavelmente oriunda de rochas do Espinhaço) para uma região baixa situada a oeste da mesma. Esta paleogeografïa estaria ligada à tectônica extensional riftogênica do início do Neoproterozóico, que levou ao desenvolvimento da Bacia Macaúbas/Salinas. Embora muitos autores interpretem a glaciação Jequitaí como do tipo continental com geleiras movendo-se para leste, nós interpretamos a glaciação Jequitaí sob um modelo de altitude, relacionado ao soerguimento de ombreiras de rifte. Os dados de paleocorrente na região da Serra da Água Fria mostram que, nesta região, houve dispersão de sedimentos em direção ao interior do Craton do São Francisco e daí para NNE.

Palavras-chave


Megasseqüência Macaúbas; Neoproterozóico; Sedimentação; Tectônica; Análise de Bacias.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.