GEOCRONOLOGIA E GEOQUÍMICA DE ORTOGNAISSES DA REGIÃO ENTRE IPORÁ E FIRMINÓPOLIS: IMPLICAÇÕES PARA A EVOLUÇÃO DO ARCO MAGMÁTICO DE GOIÁS

JOSENEUSA BRILHANTE RODRIGUES, SIMONE MARIA LIMA COSTA GIOIA, MÁRCIO MARTINS PIMENTEL

Resumo


Nesse estudo são apresentados novos dados isotópicos Sm-Nd e Rb-Sr, além de resultados geoquímicos preliminares de unidades de ortognaisses e uma metavulcânica expostas entre as cidades de Iporá e Firminópolis no sudoeste de Goiás. Amostras de ortognaisses da região de Iporá forneceram uma idade isocrônica Rb-Sr em rocha total de 673 ± 75 Ma, com razão 87Sr/86 inicial de 0,7048 ± 0.0004. Os valores de εNd(T) para essas rochas estão entre ca. +0,4 e +1,9 e idades modelo TDM entre 1,0 e 1,1 Ga, indicando o caráter juvenil do magma granítico original. A composição de elementos traços também aponta para o caráter de arco do magma. Uma amostra de rocha metavulcânica félsica da seqüência vulcanossedimentar de Iporá apresentou idade U-Pb em zircão de 636 ± 6 Ma e idades TDM de 0,77 e 1,0 Ga. Essa rocha representa a rocha metavulcânica mais jovem já datada no Arco Magmático de Goiás. Na área de Fazenda Nova, amostras de unidades de rochas tonalíticas e dacíticas, também investigadas, mostram características juvenis em relação às composições isotópicas de Nd, com idades modelo TDM de 0,95 e 0,88 Ga, respectivamente. Mais a sul, na extremidade sul do lineamento Moiporá-Novo Brasil, biotita gnaisses e milonitos indicaram idades TDM significativamente mais antigas, entre ca. 1,7 e 3,2 Ga, revelando a existência de um fragmento siálico mais antigo naquela localidade. Esses gnaisses e o gnaisse Ribeirão, nas vizinhanças de Arenópolis, com idades modelo arqueanas, representam as dois únicos exemplos conhecidos até o momento de exposições de terrenos mais antigos em meio às rochas juvenis do Arco Magmático de Goiás. Os hornblenda gnaisses de Firminópolis, na extremidade leste da área investigada, mostram assinatura geoquímica de arco e características isotópicas de Nd ("errócrona" Sm-Nd com idade de ca. 630 Ma e TDM entre 1,1 e 1,4 Ga) que indicam que os protólitos tonalíticos eram parte do sistema de arco Neoproterozóico. Os resultados mostraram que o arco magmático de Goiás se estende para leste pelo menos até as proximidades de Firminópolis onde estão expostos ortognaisses tonalíticos primitivos, semelhantes petrográfica, química e isotopicamente aos gnaisses de Arenópolis, Matrinxã e Sanclerlândia

Palavras-chave


Ortognaisses; Juvenil; Neoproterozóico; Arco Magmático de Goiás.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.