ESTUDO ISOTÓPICO Sm-Nd REGIONAL DA PORÇÃO CENTRAL DA FAIXA BRASÍ- LIA, GOIÁS: IMPLICAÇÕES PARA IDADE E ORIGEM DOS GRANULITOS DO COMPLEXO ANÁPOLIS-ITAUÇU E ROCHAS METASSEDIMENTARES DO GRUPO ARAXÁ

MÁRCIO MARTINS PIMENTEL, REINHARDT ADOLFO FUCK, DANIELLE PIUZANNA FISCHEL

Resumo


A porção central da Faixa Brasília é caracterizada pela exposição de terrenos de alto grau, constituinda o chamado Complexo Anápolis-Itauçu, exposto em meio a rochas metassedimentares do Grupo Araxá. O Complexo Anápolis-Itauçu, em Goiás, compreende uma associação de rochas de alto grau metamórfico constituído por: (i) granulitos ortoderivados, incluindo corpos máfico-ultramáficos, charnoquitos, enderbitos, gnaisses tonalíticos e (ii) granulitos aluminosos paraderivados associados a mármores e sillimanita quartzitos. Estreitas faixas de seqüências vulcano-sedimentares constituídas predominantemente por anfibolitos e micaxistos também são reconhecidas. Instrusivos nas rochas de alto grau e também nos metassedimentos do Grupo Araxá, é conhecido um grande número de corpos graníticos, muitos dos quais apresentando caráter peraluminoso. Esse conjunto de rochas tem sido tradicionalmente interpretado como parte do embasamento siálico antigo (Paleoproterozóico ou Arqueano) dos metassedimentos neoproterozóicos da Faixa Brasília. Análises Sm-Nd em amostras de granulitos félsicos aluminosos, portadores de sillimanita e granada, indicam idades modelo TDM entre ca. 1,3 e 1,6 Ga. Esses valores representam um limite superior para a idade dos protólitos dessas rochas de alto grau e revelam que elas são mais jovens do que o postulado em modelos anteriores. Granitos intrusivos no Complexo Anápolis-Itauçu e nos metapelitos do Grupo Araxá em regiões adjacentes ao complexo granulítico apresentam um padrão isotópico de Nd semelhante ao observado para os granulitos félsicos, com idades modelo variando entre l ,37 e l ,85 Ga. As composições isotópicas de Nd das rochas granulíticas e graníticas investigadas são, por sua vez, parecidas com as dos metassedimentos que constituem a zona interna da Faixa Brasília (Grupo Araxá) na região centro-sul de Goiás, os quais mostram idades modelo entre ca. 1,2 e 2,2 Ga. Os dados isotópicos preliminares são consistentes com um modelo no qual o magmatismo granítico de natureza em parte peraluminosa, associado ao Complexo Anápolis-Itauçu, é de idade Neoproterozóica, sendo o resultado da refusão de material siálico pré-existente. O caráter aluminoso de muitos desses granitóides e riolitos (e.g. Seqüência Maratá e granitos associados, na região de Ipameri) sugere uma fonte metassedimentar, indistinta isotopicamente das rochas metassedimentares do Grupo Araxá. As composições isotópicas de Nd dos granulitos félsicos sugerem ainda que, pelo menos em parte, essas rochas representam os correspondentes de alto grau metamórfico das seqüências supracrustais da porção interna da Faixa Brasília.

Palavras-chave


Granulitos; Rochas metassedimentares; Faixa Brasília; Idade modelo; Sm-Nd.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.