SIGNIFICADO GEOTECTÔNIÇO DO MAGMATISMO GRANÍTICO NEOPROTEROZÓICO DA FAIXA ARAÇUAÍ, LESTE DO BRASIL: UM MODELO E QUESTÕES PERTINENTES

ANTÔNIO CARLOS PEDROSA-SOARES, CRISTINA MARIA WIEDEMANN, MARIA LOURDES SOUZA FERNANDES, LEONARDO FIGUEIREDO DE FARIA, JULIANA CRISTINA HENRIQUES FERREIRA

Resumo


A Faixa Araçuaí é a parte brasileira do Orógeno Araçuaí-Oeste Congolês. Remanescentes de litosfera oceânica, formados em torno de 816 Ma, relacionam-se ao estágio de margem passiva da bacia Araçuaí. Durante o Evento Brasiliano (650-500 Ma), intensa anatexia crustal produziu grande volume de magma granitóide no domínio tectônico internç da Faixa Araçuaí. Cinco diferentes suites granitóides são reconhecidas. A suíte Gl, sintectônica, constitui o núcleo anatético do orógeno. É representada por corpos batolíticos de ortognaisses do tipo S. A suíte G2 é composta por granitóides tipo I, cálcio-alcalinos, sintectônicos. A suíte G3, tarditectônica, compreende corpos graníticos peraluminosos, do tipo S, alojados principalmente em Gl. A suíte G4 consiste de intrusões granitóides tardi a pós-tectônicas, do tipo I com assinatura cálcio-alcalina de alto-K. A suíte G5 compreende plútons graníticos do tipo S, pós-tectônicos. Neste trabalho se propõe um modelo para explicar a origem destas suites granitóides. Ao desenvolvimento da bacia Araçuaí seguiram-se subducção de sua litosfera oceânica, convergência continental e espessamento crustal. O incremento progressivo na temperatura metamórfïca, relacionado à ascensão de magmas e espessamento crustal, induziu anatexia regional nas pilhas metassedimentares. Deste processo resultaram, inicialmente, os granitóides Gl a partir da fusão parcial do complexo kinzigítico e, talvez, da Formação Salinas. No estágio tardio, relaciona-se a geração dos granitóides G3 ao alívio do stress compressional. As suites G2 e G4 alinham-se na direção N-S e mostram zonamento de oeste para leste, sugerindo diferentes estágios de maturação do magmatismo cálcio-alcalino. Neste contexto, G2 representaria a raiz de um arco vulcânico continental, relacionado a uma zona de subducção mergulhante para leste. G4 representa as fusões cálcio-alcalinas de alto-K, pós-colisionais, geradas no nível crustal mais profundo. Finalmente, os plútons pós-colisionais da suíte G5 foram gerados e alojados em níveis crustais mais rasos do orógeno.

Palavras-chave


Orógeno Araçuaí-Congo Ocidental; Granitos neoproterozóicos; Granitos Brasilianos.

Texto completo:

PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.