A MODELAGEM DE SISTEMAS DE FALHAS EXTENSIONAIS, NUCLEADOS EM ZONAS DE FRAQUEZA PREEXISTENTES, E SUA APLICAÇÃO À BACIA MINAS NO QUADRILÁTERO FERRÍFERO, MINAS GERAIS

CAROLINE JANETTE SOUZA GOMES, MARCELO A. MARTINS-NETO, GESNER J. L. SANTOS, LUIZ MARCELO R. MARTINS

Resumo


Com o objetivo de se estudar a geometria de bacias extensionais, nucleadas a partir de antigas zonas de fraqueza, foram montados treze modelos físicos. Todos os modelos continham um sistema de descontinuidades, em sua base. Em uma sequência de oito modelos, simulou-se a extensão litosférica pelo modelo do cisalhamento simples e em outra, de cinco modelos, a extensão foi simulada por uma deformação do tipo cisalhamento puro. Nos experimentos da primeira sequência, variou-se o ângulo de mergulho das descontinuidades preexistentes, submetendo-os a uma extensão em diferentes direções. Na segunda sequência, além de se modificar a direção de abertura das bacias, introduziu-se, em um modelo, uma camada de silicone, viscosa, sob o pacote de areia, rúptil. A análise sistemática, em 3-D, das estruturas formadas demonstrou que a geometria de bacias sedimentares controladas por zonas de fraqueza do embasamento depende de dois fatores: a reologia envolvida e o ângulo entre a descontinuidade preexistente e a direção da extensão. O presente estudo permite sugerir para a Bacia Minas, no Quadrilátero Ferrífero, uma direção de abertura ENE

Palavras-chave


Modelagem de falhas; Zonas de fraqueza preexistentes; Bacias extensionais; Quadrilátero Ferrífero.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.