GEOQUÍMICA DE PARTE DO COMPLEXO GRANULÍTICO DE SANTA CATARINA, BRA- SIL AUSTRAL: UM MODELO DE DIFERENCIAÇÃO DE BASALTO TOLEIÍTICO DE ALTO-AL

MÁRIO C. HEREDIA FIGUEIREDO, IAN MCREATH, MIGUEL A. S. BASEI, MARTA S. M. MANTOVANI

Resumo


Parte do Complexo Granulítico de Santa Catarina é composta de uma sequência cálcio-alcalina, básica a ácida e cogenética, bem como piroxenitos. Anortositos, trondhjemitos, anfibolitos e metassedimentos são subordinados. A sequência cálcio-alcalina compõe-se de noritos, enderbitos e charno-enderbitos. As composições do granulitos intermediários- ácidos assemelha-se as de tonalitos a alto-Al e granodioritos arqueanos, enquanto os granulitos básicos correspondem a toleiítos alto-Al. Os piroxenitos de Barra Velha possuem composições augíticas e apresentam, localmente, texturas de cumulatos. Os dados de geoquímica sugerem que a sequência cálcio-alcalina formou-se através de cristalização fracionada de toleiítos alto-Al. Plagioclásio, olivina ou ortopiroxênio e clinopiroxênio foram as fases principais. Os piroxenitos correspondem a cumulatos de piroxênio formados precocemente durante a cristalização fracionada de basalto a alto-Al, enquanto rochas com teores muito elevados de Al devem ser cumulatos de plagioclásio, e rochas com altos teores de Fe devem ser cumulatos de minerals ferro magnesianos. Essas observações demonstram que a subducção de crosta oceânica, fria e hidratada, seguida pela sua desidratação com invasão da cunha sobrejacente pelos fluidos liberados e fusão parcial do manto peridotítico dessa cunha, com geração de magmas máficos, pode ter occorido durante o Arqueano tardio. Nessa época, o processo mais comum era fusão direta de crosta oceânica quente e anidra, que durante a subducção produziu magmas tonalíticos e semelhantes.

Palavras-chave


Granulitos; Petrogênese arqueana; Suíte cálcio-alcalina; Basalto toleiítico alto-Al.

Texto completo:

PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.