LITOGEOQUÍMICA DOS ORTOGRANULITOS DO COMPLEXO JUIZ DE FORA NA SEÇÃO TRANSVERSAL BOM JARDIM DE MINAS (MG)-VASSOURAS (RJ), SEGMENTO CENTRAL DA FAIXA RIBEIRA

MONICA HEILBRON, RÔMULO MACHADO, MARIO FIGUEIREDO

Resumo


As rochas granulíticas do Complexo Juiz de Fora integram o embasamento pré-1.8 Ga da escama tectônica Média do segmento Central da Faixa Ribeira. Este domínio é marcado pela interdigitação tectônica de granulitos com unidades metassedimentares meso a neoproterozóicas. O Complexo Juiz de Fora é representado, na região entre Rio Preto (MG) e Vassouras (RJ), por três conjuntos Iitológicos: ortogranulitos, ortognaisses e paragranulitos, que afloram em diversas escamas de empurrão relacionadas ao encurtamento da Orogênese Brasiliana. Os contatos tectônicos principais são caracterizados pela transformação dos granulitos em milonitos retrometamórficos para a fácies anfibolito. A investigação geoquímica dos ortogranulitos permitiu subdividi-los em duas associações tectônicas distintas: a) uma representada por duas séries cálcio-alcalinas geoquimicamente semelhantes às de arcos magmáticos modernos; b) outra com dois grupos de rochas básicas, urn toleítico e outro com basaltos transicionais a alcalinos, ambos indicando ambiente distensivo intracontinental. A relação entre estes ambientes tectônicos distintos deve ser investigada em termos geocronológicos, já que a tectônica Brasiliana obliterou a paleogeografia deste importante segmento paleoproterozóico da faixa Ribeira.

Palavras-chave


Embasamento paleoproterozóico; Margem continental ativa; Magmatismo intraplaca; Granulitos; Complexo Juiz de Fora.

Texto completo:

PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.