ANATEXIA CRUSTAL E GÊNESE DE GRANITOS NA NAPPE DE EMPURRÃO SOCORROGUAXUPÉ, SE DO BRASIL: SUPORTE A PARTIR DA GEOQUÍMICA ELEMENTAL

VALDECIR DE ASSIS JANASI

Resumo


Três suítes de granitos foram produzidas há ca. 620-630 Ma por fusão parcial de uma seção crustal exposta como um terrene alóctone de alto grau (a Nappe de Empurrão Socorro-Guaxupé) a sul do Cráton do São Francisco, SE do Brasil. Os notáveis contrastes petrográficos e geoquímicos entre as suítes refletem sua geração a partir de diferentes protolitos sob condições variáveis de P, T e a(H2O). A suíte São José do Rio Pardo (SJRP) é formada por corpos tabulares dobrados com uma associação consanguínea de rochas mangeríticas a graníticas predominante que resultou de cristalização fracionada in situ de magmas quartzo mangeríticos de baixo mg#, Ca e Sr. Os conteúdos muito baixos de elementos traços radiogênicos (Rb, Cs, Th, U) e H2O inferidos para os magmas parentais indicam uma fonte granulítica empobrecida que, como deduzido pela termometria de saturação em zircão, foi fundida a temperaturas anomalamente elevadas (até 1000°C). Altas razões K/Rb e Ba/Sr e anomalias positivas de Eu, especialmente evidentes em um conjunto de rochas charnoquíticas não-cumuláticas, parecem refletir fusão em desequilíbrio envolvendo feldspato potássico como fase consumida, provavelmente como resultado da natureza anidra dos magmas e da rápida extração do fundido. Os granitos tipo Pinhal ocorrem como inúmeros corpos pequenos de biotita granito róseo equigranular, em parte nebulítico, intimamente associado a gnaisses migmatíticos. Esses granitos são interpretados como produtos de fusão associada a quebra de biotita a ca. 850°C a partir de protolitos de composição tonalítica-granodiorítica, como indicam seus padrões de ETR fracionados (sugestivos da presença de granada no resíduo), além das anomalias negativas de Eu e razões Rb/Sr mais elevadas em relação as demais suítes (ambos sugestivos de um resíduo rico em plagioclásio e pobre em biotita, possivelmente granulítico). Os granada-biotita granitos tipo Nazaré Paulista, também intimamente associados a gnaisses migmátiticos, correspondem a produtos de fusão a temperaturas mais baixas (700-800°C, como inferido da termometria de satura9ao em zircao e monazita) de protolitos com um componente metassedimentar importante. Conteúdos comparativamente elevados de Ca e Sr e anomalias de Eu levemente positivas a nulas, além de baixos Rb e Ba, indicam um residue com biotita abundante e pobre em plagioclásio ou com plagioclásio rico em Ca. A anatexia generalizada da seção crustal neoproterozóica estudada deve refletir a influência de uma importante anomalia térmica de magnitude incomum em orógenos colisionais, que foi responsável pela geração, em um curto intervalo de tempo, de tipos de granitos normalmente encontrados em diferentes ambientes tectônicos (e.g., a suíte mangerito-charnockito-granito SJRP e os leucogranitos peraluminosos associados a suíte Nazaré Paulista).

Palavras-chave


Charnockito; Granito; Anatexia crustal; Litogeoquímica.

Texto completo:

PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.