DADOS Rb-Sr E Sm-Nd DA REGIÃO DE JUSSARA-GOIÁS-MOSSÂMEDES (GO), E O LIMITE ENTRE TERRENOS ANTIGOS DO MACIÇO DE GOIÁS E O ARCO MAGMÁTICO DE GOIÁS

MÁRCIO MARTINS PIMENTEL, REINHARDT A. FUCK, UIZ J. H. DEL'REY SILVA

Resumo


A natureza dos limites entre os terrenos arqueanos/paleoproterozóicos do Maciço de Goiás e os terrenos juvenis neoproterozóicos (ca. 900 a 650 Ma) do chamado Arco Magmático de Goiás é ainda mal entendida. Neste trabalho foram investigados os limites sudoeste e sul do maciço, na região compreendida entre as cidades de Goiás, Jussara e Mossâmedes. Em uma transversal E-W entre Goiás, situada no Maciço de Goiás, e Jussara, localizada no arco magmático, foram identificadas e datadas (métodos Rb-Sr e Sm-Nd) as seguintes unidades de rochas graníticas, gnáissicas e miloníticas: (i) gnaisse tonalítico de Uvá (GT) (2564 ± 140 Ma, r.i = 0.7017, TDM=3.0-3.5 Ga) ; (ii) granito Uvá (GU) (285l ± 180 Ma, εNd(T) = +0.3, TDM=3.0-3. l Ga); (iii) gnaisse milonítico de Itapirapuã (GMI); (iv) granito porfirítico grosso (GPG) (759 ± 62 Ma, r.i. = 0.7053, TDM=2.0-2.3 Ga); (v) gnaisse granítico (GG) (2601 ± 209 Ma, r.i. = 0.7016, TDM = 2.4-2.5 Ga) e (vi) gnaisse milonítico (GM). As unidades GT e GU mostram foiiação tectônica em torno de E-W, com mergulhos para norte, a qual é fracamente afetada por uma deformação superimposta de direção aproximada N-S. Em direção a oeste, estruturas de direção N-S tornam-se progressivamente mais importantes, com o desenvolvimento de importantes zonas de cisalhamento dextrais, característica deformação impressa nas rochas do arco magmático. Os dados geocronológicos e estruturais permitem atribuir a deformação E-W ao Arqueano ou Paleoproterozóico e a N-S ao Neoproterozóico. Rochas metavulcânicas félsicas da região de Mossâmedes, a sul dos terrenos arqueanos de Goiás, forneceram idades isocrônicas Rb-Sr de 1978 ± 55 Ma e 1582 ± 101 Ma, com razões 87Sr/86Sr iniciais de ca. 0.7023 e 0.7053, respectivamente. Elas não integram, portanto, o arco magmático neoproterozóico e são aqui interpretadas como componentes da borda sul do maciço. Os dados permitem sugerir uma reconstrução paleogeográfica neoproterozóica segundo a qual as rochas estudadas integram a borda sudoeste-sul da placa do São Francisco-Congo e o Maciço de Goiás representa uma saliência indentadora durante a colisão continental que originou a Faixa Brasília.

Palavras-chave


Ciclo Brasiliano; Paleogeografia; Colisão continental; Indentação; Neoproterozóico.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.