HISTORIOGRAFIA DA REGIÃO DE DOBRAMENTOS DO MÉDIO COREAÚ

JOAQUIM RAUL TORQUATO, JOSÉ DE ARAÚJO NOGUEIRA NETO

Resumo


Conhecida desde o início do século, a Região de Dobramentos do Médio Coreaú é a mais espetacular feição geológica do Ceará e talvez mesmo uma das mais importantes do Nordeste. A Região de Dobramentos do Médio Coreaú, conforme definido originalmente por Brito Neves (1975), corresponde a um Cinturão Orogênico (Orogenic Belt), o qual engloba uma variedade de litótipos com distintas idades e origens numa mesma unidade tectônica. Esta região, juntamente com o Maciço de Granja, ocupa toda a porção do extremo noroeste do Ceará, e está situada a norte do lineamento Sobral-Pedro II. Neste trabalho apresentamos o resumo histórico estratigráfico e evolutivo das sete principais unidades litoestratigráficas descritas para a região: 1) Grupo Jaibaras, que representa uma unidade molássica com intercalações de rochas vulcânicas, posicionado sob a forma de graben, e sobreposta em discordância ao Grupo Ubajara. Uma isócrona Rb/Sr em rocha total forneceu a idade de 535 ± 27 Ma (Novais et al. 1979). Essa unidade parece ter atingido o fácies prehnita-pumpelleyta (Jardim de Sá et al. 1979); 2) Grupo Ubajara, inclui pelitos-psamitos, arenitos-grauvacas e litótipos calcários (Costa et al. 1973). Este conjunto é coitado por granitos, cuja isócrona Rb/Sr em rocha total proveu idade de 550 ± 30 Ma. (Sial et al. 1981); 3) Granito Chaval, sinorogênico fortemente cisalhado, com idade Rb/Sr em rocha total de 507±27 Ma (Nogueira Neto et al. 1989); 4) Grupo Martinópole, constituído por filitos, xistos, carbonates impuros, metavulcânicas e quartzitos milonfticos, todos metamorfisados no facies xisto-verde. Freqüentemente apresentam redobramentos recumbentes de clivagem. Dados U/Pb em zircões, de metavulcânicas intercaladas nos metasedimentos, forneceram idade Neoproterozóica (808 ±7,8 Ma.) para a sedimentação (Fetter et al. 1995); 5) Grupo São Joaquim, que inclui metaquartzitos (1500 m de espessura) e várias intercalações de oito e paragnaisses (Torquato et al. 1987); 6) Faixa granulítica de Granja, representada por khondalitos, gnaisses charnockiticos, enderbitos e granulitos máficos. Apresentam idades Pb/Pb por evaporação de zircões de aproximadamente 2000 Ma (Gaudette et al. 1993), enquanto a idade U/Pb em zircões forneceu 2200 Ma. (Fetter et al. 1995); 7) Ortognaisses de composição diorftica, tonalítica e granodiorítica os quais podem representar o embasamento pré-brasiliano retrabalhado. Idades Pb/Pb por evaporação de zircões deram 2028±30 Ma e 2253±27 Ma respectivamente para dois gnaisses nas imediações da cidade de Granja (Gaudette et al. 1993). Dados U/Pb em zircões de três gnaisses da região forneceram idades entre 2290 e 2360 Ma (Fetter et al. 1995).

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.