GEOLOGIA, PETROGRAFIA E LITOGEOQUÍMICA DO COMPLEXO GRANÍTICO TRÊS CÓRREGOS NA REGIÃO DE BARRA DO CHAPÉU E RIBEIRÃO BRANCO, SP

ANTONIO GIMENEZ FILHO, WILSON TEIXEIRA, MARIO C. H. FIGUEIREDO, LUIZ E. TREVIZOLI JÚNIOR

Resumo


Neste trabalho, considera-se que o Complexo Granítico Três Córregos é constituído predominantemente por granitóides porfiróides a orientados. Além disso, ocorrem na região uma suíte de granitos pós-tectônicos e um corpo de augen gnaisses, interpretado como megaenclave. Os augen gnaisses, contendo enclaves quartzo dioríticos a quartzo-monzoníticos, têm composições distintas daquelas dos granitóides mais abundantes, e parecem, apesar do número muito reduzido de amostras analisadas, caracterizar uma seqüência cálcioalcalina de alto-Al. Os granitóides Três Córregos são constituídos predominantemente por hornblenda-biotita granitóides porfiróides e granitos leucocráticos microporfiríticos a equigranulares, além de granitóides orientados, que apresentam composições semelhantes às dos outros granitóides. Comumente encontram-se enclaves máficos de composição predominantemente diorítica potássica. Os granitóides e enclaves máficos parecem constituir uma seqüência expandida cálcio-alcalina de alto-K, com distribuição de elementos incompatíveis, incluindo os elementos Terras Raras, com típicos componentes de zona de subducção. Os enclaves dioríticos potássicos podem corresponder a magmas derivados por fusão parcial de manto enriquecido, em cunha do manto acima de uma zona de subducção, com pelo menos alguma contaminação crustal durante sua evolução, armazenagem e colocação. Os granitóides intermediárío-ácidos parecem estar relacionados aos K-diorítos mas o mecanismo preciso deste relacionamento é ainda impreciso. Os granitos pós-tectônicos são fortemente diferenciados e correspondem provavelmente a fusões crustais em ambiente intraplaca.

Palavras-chave


Granitóides; Neoproterozóico; Enclaves; Cálcio-alcalino de alto-K.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.