METAMORFISMO DE ROCHAS HIDROTERMALMENTE ALTERADAS ASSOCIADAS A DEPÓSITO DE SULFETO MACIÇO VULCANOGÊNICO: O EXEMPLO DE PALMEIRÓPOLIS, BRASIL

SYLVIA M. ARAUJO, J. JEFFREY FAWCETT, STEVEN D. SCOTT

Resumo


O depósito de sulfeto maciço a Zn e Cu vulcanogênico de Palmeirópolis, Brasil, consiste de três corpos de minério associados a zonas de alteração hidrotermal. Os corpos de minério e as zonas de alteração foram metamorfisados no fácies anfibolito. As zonas de alteração do depósito são caracterizadas por uma grande diversidade química que originou uma grande variedade de assembléias mineralógicas. Essas assembléias são compostas por ortoanfibólios (antofilita e gedrita), hornblenda, biotita, granada, estaurolita, silimanita, gahnita e, mais raramente, cordierita. Baseado na composição química de diferentes minerais e nas associações mineralógicas, a temperatura de metamorfismo foi estimada entre 550 e 625°C e a pressão entre 2 e 5,5 kbar. A temperatura de metamorfismo a qual o depósito de Palmeirópolis foi submetido é comparável a de outros depósitos de sulfeto maciço também metamorfisados no fácies anfibolito, tais como Geco e Linda, no Canadá; Falun, na Suécia; e Bleikvassli, na Noruega. A mineralogia das zonas de alteração é similar em todos esses depósitos apesar de terem sido submetidos a diferentes condições de pressão, refletidas apenas pela cristalização de um ou outro polimorfo de Al2SiO5 (andalusita, silimanita ou cianita). 


Palavras-chave


Depósito vulcanogênico; Zonas de alteração hidrotermal; Fácies anfibolito.

Texto completo:

PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.