OS PICRITOS ALCALINOS DA REGIÃO DE IPORÁ: IMPLICAÇÕES NA GÊNESE DOS COMPLEXOS DO TIPO CENTRAL DO SUL DE GOIÁS

JOSÉ C.M. DANNI

Resumo


Na região de Iporá, é reconhecida a ocorrência de intrusões subvulcânicas - sills, diques e plugs - formadas por picritos alcalinos de idade cretácica superior. Estas rochas apresentam textura porfirítica cumulativa, formada por 10 a 25% (vol) de macrocristais de olivina (Fo88) e, às vezes, por clinopiroxênios (O a 5%), imersos em matriz microcristalina composta por olivina, diopsídio, plagioclásio, feldspato potássico, Tibiotita, nefelina e, às vezes, por leucita analcitizada. Possuem caráter ultrabásico alcalino, contendo ol e ne normativas, razões MgO/MgO ± FeO entre 0,72 e 0,80 e altas concentrações em Cr, Ni, V, Ba, Sr, e ETR leves. As variações químicas entre seus elementos maiores e traços mostram relações controladas, principalmente, pela cristalização fracionada da olivina. Cálculos de massa por subtração dos macrocristais de olivina produzem composições magnesianas (13% de MgO) e razões MgO/MgO+FeO = 0,71. Tais composições podem corresponder ao magma parental gerador dos complexos do tipo central que ocorrem na região.

Palavras-chave


Picritos alcalinos; Petrologia; Cretáceo; Goiás.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.