MINERALIZAÇÃO AURIFERA DE IDADE PROTEROZOICA SUPERIOR E EVOLUÇÃO ESTRUTURAL DO QUADRILÁTERO FERRÍFERO, MINAS GERAIS - BRASIL

ALAIN CHAUVET, IVO ANTÔNIO DUSSIN, MICHEL FAURE, JACQUES CHARVET

Resumo


Três eventos tectônicos principais apresentando diferentes características podem ser reconhecidos na porção SE do Quadrilátero Ferrífero. O primeiro evento, Dp, é caracterizado pela lineação de estiramento com trending N-S (lineação Lp) associada regionalmente com transporte para sul. Este evento mais antigo, atribuído ao Transamazônico com idade (- 2000 Ma.), é relacionado à atividade plutônica e reativação do embasamento arqueano expressa pela ocorrência de restritas rochas graníticas leucocráticas intrudidas nos gnaisses Bação. As dobras em larga escala, as quais definem a geometria dominante do Quadrilátero Ferrífero, foram formadas durante este evento. O segundo evento tectônico, Dm, foi definido em função do thrusting maior com vergência W-NW atribuído ao Ciclo Brasiliano (~ 600 Ma.). Uma lineação de estiramento bem expressa, orientada de E-W à NW-SE (lineação Lm) e associada a critérios de cizalhamento com vergência NW caracterizam este evento. O terceiro evento, Dm', é caracterizado por falhas normais da pilha de nappes em resposta à relaxação das forças compressionais Dm brasilianas. Este evento é marcado pela ocorrência de drag-folds na escala métrica e também associado ao desenvolvimento de uma nova lineação Lm'. As mineralizações de ouro localizadas ao longo do contato entre os supergrupos Minas e Rio das Velhas, situam-se nos veios tardios com forte recristalização do quartzo, carbonato, sulfetos, clorita e turmalina. A análise microscópica e geométrica dos veios permite concluir que os veios foram formados pelo preenchimento fraturas fechadas relacionadas a tectônica Dm'. Um modelo de evolução estrutural, com o envolvimento de atividade plutônica transamazônica dentro do Complexo Bação arqueano, sucedido pelos thrusts tectônicos somente desenvolvidos durante o Brasiliano, é proposta e discutida. A idade da concentração de ouro, admitida como tendo ocorrida durante a relaxação em resposta ao evento de thrusting é reinterpretada e descrita como pertencente ao estágio inicial da tectônica brasiliana.

Palavras-chave


Mineralizações auríferas; Shear Zones; Neoproterozóico; Quadrilátero Ferrífero.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.