DATAÇÃO K/Ar DE ARGILAS ASSOCIADAS ÀS MINERALIZAÇÕES E AOS PROCESSOS DIAGENÉTICOS, EM RELAÇÃO COM A HISTÓRIA DA ABERTURA DO OCEANO ATLÂNTICO SUL

ROSA P. SANTOS, MICHEL G. BONHOMME

Resumo


Datações K/Ar das argilas ligadas a certas mineralizações filonianas e às transformações diagenéticas foram efetuadas sobre as amostras provenientes de diversas localidades ao longo da costa atlântica da América do Sul e da Bacia do Paraná. Após controle mineralógico e geoquímico, particularmente sobre o teor em titânio das argilas, as idades obtidas mostram os seguintes resultados: 1. As datações em argilas ligadas as mineralizações de fluorita da Mina Santa Catarina (SC) e de urânio em Poços de Caldas (MG) forneceram idades de 87 e 67,5 Ma, respectivamente. 2. As datações em argilas de diagênese da Bacia do Paraná permitiram precisar a existência de um episódio diagenético de alta temperatura entre 140 e 130 Ma e outro de baixa temperatura entre 120 e 100 Ma. 3. As datações em celadonitas e apofilitas de alteração diagenética nos basaltos da Formação Serra Geral colocam este evento entre 120 e 110 Ma. 4. Todos os dados acima podem ser situados direta ou indiretamente dentro do contexto da abertura do Oceano Atlântico Sul e dos fenômenos magmáticos decorrentes. 5. A ligação no espaço e no tempo, entre diagênese e mineralizações filonianas, de um lado, e tectônica extensional, do outro, já foi observada por diversos autores ao longo do Atlântico Norte. Estes dados apresentam mecanismos idênticos ocorridos durante a abertura do Atlântico Sul.

Palavras-chave


Argilas; Mineralizações; Diagênese; Datação; K/Ar; Tectônica extensional; Abertura continental.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.