EVIDÊNCIA DE DEFORMAÇÃO BRASILIANA/PANAFRICANA NO CINTURÃO ARAGUAIA: IMPLICAÇÕES PARA A EVOLUÇÃO DO GONDWANA

CANDIDO A.V. MOURA, HENRI E. GAUDETTE

Resumo


Datações de monocristais de zircão em granitos e veios graníticos sin a tardi-tectônicos, associados as rochas supracrustais do Cinturão Araguaia, por evaporação gradativa de Pb forneceram idades platô para a razão 207Pb/206Pb de 635 ± 53 Ma, 513 ± 17 Ma e de 655 ± 24 Ma. As idades destes cristais calculadas através da média ponderada dos diversos blocos de leitura da razão 207Pb/206Pb foram de 542 ± 72 Ma, 498 ± 19 Ma and 583 ± 39 Ma. Considerando o carácter sin-tectônico, ou no máximo tardi-tectônico destas rochas graníticas, esses dados sugerem que o Ciclo Brasiliano foi responsável pela estruturação do Cinturão Araguaia. Consequentemente, o desenvolvimento estrutural do Cinturão Araguaia pode ser colocado no contexto da amalgamação do Gondwana durante o Proterozóico Superior.

Palavras-chave


Geocronologia; Datação de monocristais de zircão; Cinturão Araguaia; Brasiliano/Pan-Africano; Gondwana.

Texto completo:

PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.