PETROGÊNESE E AMBIENTE TECTÔNICO DO MACIÇO SIENÍTICO POTÁSSICO NEOPROTEROZÓICO CAPITUVA, SW DE MINAS GERAIS

VALDECIR A. JANASI

Resumo


O Maciço Capitava é produto da intrusão sucessiva de quatro pulsos magmáticos principais parcialmente superpostos, compostos essencialmente por sienitos potássicos ricos em LILE. Os sienitos que constituem os três pulsos iniciais (em geral de granulação média a grossa; abreviados MCS) contrastam com os quartzo sienitos finos (FQS) que ocorrem como corpos semi-anelares no pulso final do maciço, apresentando conteúdos maiores de Na e Al, e menores de Si e Ca. Em função de sua granulação fina e da pequena proporção de fenocristais, as composições químicas dos FQS devem se aproximar daquelas dos magmas a partir dos quais eles cristalizaram. A presença de um componente cumulático importante em MCS pode ser também descartada, já que modelamentos químicos mostram que eles não podem derivar dos FQS por acumulação de feldspatos; mais ainda, a despeito da ampla variação textural observada, todas as amostras de MCS analisadas são quimicamente muito similares. Rochas claramente cumuláticas (lentes máficas-ultramáficas; sienitos compostos basicamente por fenocristais de feldspato alcalino) e contaminadas (biotita sienitos) parecem portanto restritas às proximidades de contatos com inclusões maiores de granitos gnáissicos encaixantes. As únicas rochas mais básicas que os MCS encontradas no maciço são mela-sienitos (IC > 35) ricos em biotita presentes no núcleo do pulso final, que não têm, contudo, composições compatíveis com a esperada para um magma parental para os sienitos mais diferenciados. Os magmas sieníticos potássicos que formaram as rochas do maciço não podem ter se formado por fusão direta no manto, em vista de seus conteúdos muito baixos de Ni e Cr, e dos mg# relativamente baixos. Mais provavelmente, eles derivaram de magmas básicos potássicos semelhantes a minetes (i.e., pobres em "componente basáltico"), por fracionamento dominado por fases máficas (clinopiroxênio + olivina ± fiogopita). As elevadas razões LILE/HFSE apresentadas pêlos sienitos estudados são similares às encontradas em magmas gerados em arcos magmáticos, mas evidências geológicas sugerem que o Maciço Capituva se formou em ambiente pós-colisional. Essa assinatura geoquímica deve portanto refletir a incorporação de material proveniente de veios ricos em LILE presentes no manto litosférico subcontinental.

Palavras-chave


Sienito: Rochas ultrapotássicas; Petrologia ígnea; Tectônica; Litoquímica.

Texto completo:

PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.