ESTRATIGRAFIA DE SEQUÊNCIAS APLICADA A TERRENOS PRÉ-CAMBRIANOS: EXEMPLOS PARA O ESTADO DA BAHIA

JOSÉ M.L. DOMINGUEZ

Resumo


A estratigrafia de seqüências constitui uma poderosa ferramenta para o estudo de acumulações sedimentares pré-cambrianas uma vez que os critérios utilizados para o reconhecimento de seqüências se baseiam apenas em relações físicas entre estratos. Dois exemplos são discutidos, incluindo sucessões deformadas e não deformadas de idade proterozóica média, que se acumularam sobre o Cráton do São Francisco. Espinhaço Setentrional - essa área situada no extremo sudoeste do Estado da Bahia, compreende o flanco invertido de uma grande dobra isoclinal, com mergulho em torno de 60° para leste. Três seqüências deposicionais, todas do tipo I, depositadas em uma bacia do tipo aulacógeno, foram identificadas para esta área, às quais foram dados nomes locais : (1) Borda Leste, (2) Espinhaço, e (3) Gentio. A Seqüência Borda Leste repousa diretamente sobre o embasamento arqueano e durante sua acumulação ocorreu um progressivo aprofundamento da bacia, com sedimentos basais depositados sob a ação de ondas, sendo substituídos no sentido do topo por filitos e sedimentos químicos (formações ferro-manganesíferas bandadas) depositados em condições de água profunda. A Seqüência Espinhaço esta separada da seqüência Borda Leste por uma discordância caracterizada por exposição subaérea. Também durante a deposição da Seqüência Espinhaço ocorreu aprofundamento progressivo da bacia com sedimentos flúvio-eólicos basais passando rapidamente no sentido do topo para sedimentos transicionais e estes para filitos grafitosos depositados em condições de água profunda. A Seqüência Gentio é constituída apenas porturbiditos de alta densidade que repousam concordantemente sobre os filitos do topo da Seqüência Espinhaço. Chapada Diamantina - a área estudada ocupa a região central do Estado da Bahia, onde afloram os sedimentos do Grupo Chapada Diamantina. Estes sedimentos não experimentaram metamorfismo e a deformação está limitada a dobramentos de muito baixa amplitude.O Grupo Chapada Diamantina foi depositado em onlap sobre o embasamento, constituindo uma rampa siliciclástica sem talude bem definido. Duas seqüências deposicionais, ambas do tipo I, foram reconhecidas para essa região, às quais foram dados nomes das formações que constituem aquele grupo: (1) Tombador-Caboclo e (2) Morro do Chapéu. A Seqüência Tombador-Caboclo repousa sobre o embasamento cristalino e durante sua deposição ocorreu um aprofundamento progressivo da bacia com sedimentos eólicos basais passando para sedimentos plataformais depositados por ação de tempestades. A Seqüência Morro do Chapéu é separada da Seqüência Tombador-Caboclo por uma discordância com exposição subaérea, associada à formação de um grande vale inciso. Em realidade, a Seqüência Morro do Chapéu é o preenchimento desse grande vale, sendo constituída na base por sedimentos fluviais que passam no sentido do topo para sedimentos estuarinos.


Palavras-chave


Estratigrafia de sequências; Pré-Cambriano; Sistemas deposicionais.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.