GEOLOGIA DO GRÁBEN DE MARTINÓPOLE, ÁREA DE CAMPANÁRIO/PAULA PESSOA (GRANJA, CE): IMPLICAÇÕES NA EVOLUÇÃO LITOESTR ATI GRÁFICA E TECTONOMETAMÓRFICA DO NOROESTE DO CEARÁ

DIÓGENES C. OLIVEIRA

Resumo


Com base em mapeamento geológico de semidetalhe de uma área situada no "Gráben de Martinópole", entre as localidades de Campanário e Paula Pessoa (noroeste do Ceará), foi possível estabelecer uma evolução litoestratigráfica e tectonometamórfica para essa região. As rochas do embasamento Complexo Gnáissico-Migmatítico revelam uma discordância estrutural em relação às litologias supracrustais e possuem exclusivamente a fase de deformação Dn-1. A Formação São Joaquim, até então pertencente ao Grupo Martinópole, foi desmembrada, em virtude de apresentar feições de deformação mais complexas e estar metamorfizada em fácies anfibolito superior (isógrada do feldspato potássico e da sillimanita), com pressões intermediárias (isógrada da cianita), o que não ocorre no referido grupo. Essa discordância estrutural-metamórfica é marcante na fase principal Dn, onde o restante das litologias do gráben acusam metamorfismo em fácies prehnita-pumpellyíta(caulinita + 2quartzo X pirofilita + H2O, sobretudo) até fácies xisto-verde inferior (isógrada da clorita e da biotita, ou na faixa superior da estabilidade da pirofilita). O Grupo Martinópole foi redefinido como uma unidade oriunda de rochas vulcanoclásticas, com contribuições vulcânicas locais (Companhia Austral 1980, Soares 1988, entre outros autores) e elásticas, permanecendo, entretanto, com duas unidades: Formação Covão (basal) e Formação Santa Terezinha. O Grupo São José consiste em uma unidade de posição estratigráfica incerta, com relação ao Grupo Martinópole, e a sua definição na geologia do gráben é ainda confusa. Esse último grupo, por sua vez, é composto de metapelitos e metapsefitos. Os Metassedimentos de Casinha são constituídos por diamictito, com arcabouço formado por seixos pré-foliados das rochas sotopostas (desse modo não é afetado pela fase Dn). Essa unidade evidencia uma forte correlação com a Formação Olho d'Agua do Caboclo, do Grupo Ubajara (de Hackspacher et al. 1988). O Grupo Jaibaras preenche pequenos semigrábens e foi depositado em cunhas elásticas molássicas, caracterizadas por paraconglomerados brechóides proximais da Formação Massapé, além de elásticos finos da Formação Pacujá, ambos de idades tardi-brasilianas. Todas as seqüências são afetadas por zonas de cisalhamento/falhas com magnitudes, natureza de deformação e idades variadas.

Palavras-chave


Noroeste do Ceará; Gráben de Martinópole; Evolução tectonometamórfica; Metamorfismo; Estratigrafia; Geologia estrutural.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.