ESTUDOS DE MINERAIS OPACOS E SUSCETIBILIDADE MAGNÉTICA NOS GRANITOS MUSA E JAMON (REGIÃO DE RIO MARIA - SE DO PARÁ) E SUAS IMPLICAÇÕES PETROLÓGICAS

MARÍLIA S. MAGALHÃES, ROBERTO DALL'AGNOL

Resumo


Os Granites Musa e Jamon são exemplos do magmatismo anorogênico que se desenvolveu de forma expressiva no Proterozóico Inferior da Província Amazônia Central. Os minerais opacos observados nesses granitos foram magnetita (Mt), ilmenita (Ilm), hematita (Ht), goethita (Gt) e pinta (Pi). Ilm pode ocorrer como três tipos texturais: cristais isolados denominados Ilm individual (I), cristais em contato com Mt - Em composite (C) e lamelas na Mt - um trellis (T). Magnetita com Ti (TMt), Ilm I, Ilm C e Pi foram os primeiros minerais opacos que se cristalizaram. No estágio magmático, ocorreu a desestabilização parcial de Ilm por titanita. Ainda no estágio subsolidus, TMt foi transformada a Mt + Ilm T devido ao processo de exsolução-oxidação. Hematitização parcial de Mt e formação de Gt também ocorreram no estágio subsolidus. Estes granitos são caracterizados por valores elevados de suscetibilidade magnética (SM), que decrescem no sentido da diferenciação magmática (fácies com anfibólio → fácies com biotita → leucogranitos). O conteúdo expressivo de Mt justifica os valores elevados de SM. Correlações positivas entre SM e conteúdos modais de minerais opacos, anfibólio e total de máficos demonstram que as fácies geoquimicamente menos evoluídas apresentam os conteúdos mais elevados de Mt. De outra forma, a correlação negativa entre SM e clorita é coerente, uma vez que clorita é uma fase enriquecida nas fácies formadas mais tardiamente, cujas transformações tardi a pós-magmáticas foram mais intensas e causaram a desestabilização parcial de Mt a Ht. Correlações positivas entre SM e Fe2O3, FeO, MgO e TiO2 ratificam o comportamento comentado entre SM e composição mineral. As características apresentadas e as razões Fe2O3/FeO, geralmente elevadas ou próximas a um (l ,0), permitem classificar estas rochas como granitos da série a Mt. A associação mineral titanita+Mt+quartzo e as razões Fe2O3/FeO indicam que condições relativamente oxidantes, com provável fO2 próximo ao do tampão Ni-NiO, foram importantes durante a evolução dos granitos Musa e Jamon.

Palavras-chave


Granitos, minerais opacos, suscetibilidade magnética, fugacidade de oxigênio, tipologia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.