FRATURAS E DESENVOLVIMENTO DE UNIDADES GEOMORFOLÓGICAS CÔNCAVAS NO MÉDIO VALE DO RIO PARAÍBA DO SUL

ANDRÉ S. AVELAR, ANA L. COELHO NETTO

Resumo


Observações de campo junto com mapeamentos geológicos de detalhe (1:10.000), leituras de cartas topográficas na mesma escala e foto interpretação (l :25.000), conduzidos nas áreas de colinas rebaixadas, sob litologias distintas, demostram o forte papel exercido pelo sistema de fraturas do substrato rochoso no controle do desenvolvimento das formas côncavas nas encostas. Sugere-se que certas condições de fraturamento em matriz rochosa alterada favoreceriam a exfiltração (exfiltration) de fluxos d'agua subsuperficiais e a formação de canal, devido ao mecanismo de erosão por poro-pressões críticos nas faces de vazamento (seepage erosion). A evolução dos canais ao longo do fraturamento detonaria movimentos de massa (tipo slump) nas encostas laterais e cabeceiras, propiciando a formação e o desenvolvimento de concavidades estruturais.

Palavras-chave


Fraturas; Morfologia de encostas; Erosão por água superficial.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.