DETEÇÃO DE CONDUTORES TABULARES SOB COBERTURA INDUTIVA

LÚCIA M.C. SILVA, MARCOS V.G. GALVÃO

Resumo


Os efeitos de uma camada superficial de número de indução relativamente elevado sob a resposta de um condutor tabular inclinado e isolado, obtida com o sistema eletromagnético de bobinas horizontais coplanares (HLEM ou Slingram), são analisados por meio de modelamento analógico. Foi observado que a cobertura causa simetrização da componente em-fase, um efeito que conduz à interpretação de um condutor com mergulho superior ao real, bem como a redução da amplitude e da rotação no sentido horário da fase da anomalia, que pode gerar a reversão da componente em-quadratura, deslocamento da base do perfil e aparecimento de um pico extra na quadratura. As relações entre esses efeitos e o mergulho, número de indução e profundidade do corpo, bem como com o tipo de calibração das bobinas, são mostradas e comparadas com aquelas determinadas para camadas superficiais de número de indução fraco a moderado. Os resultados mostram que é possível encontrar informações sobre o corpo no ruído, já que os efeitos da camada superficial são considerados ruído. Tal paradoxo é discutido. Finalmente, a simetria da em-fase observada é analisada tendo em conta o efeito análogo que pode ocorrer quando corpo e ambiente condutivo encontram-se em contato galvânico, e é associado ao fenômeno de concentração de corrente, também conhecido como blindagem negativa.

Palavras-chave


Manto de intemperismo; HLEM; Slingram; Modelo analógico; Modelo reduzido; Modelo de três dimensões; Condutor semiplano; Condutor tabular; Método eletromagnético; EM.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.