O GRANITO DA RAMADA, PORÇÃO OESTE DO ESCUDO SUL-RIO-GRANDENSE: GEOLOGIA, PETROLOGIA E GEOQUÍMICA

ROBERTO H. NAIME, LAURO V. S. NARDI

Resumo


O Granito da Ramada é uma intrusão epizonal, pós-orogênica, associada ao magmatismo alcalino que sucede a orogênese brasiliana. Ele é constituído por sieno e monzogranitos com anfíbólio cálcico (magnésio homblenda e homblenda ferro-edenítica) e biotita, além de magnetita, ilmenita, titanita, zircão, allanita e fluorita. Sua textura varia de equigranular hipidiomórfíca até porfirítica. Sua composição química não é tipicamente alcalina, sendo este caráter indicado pelas razões FeO(t)/FeO(t)+MgO superiores a 0,9, pelo elevado índice agpaítico e pela localização de suas amostras no diagrama R1R2. Quanto aos elementos traços, apenas as terras raras apresentam padrões indicativos de sua afinidade alcalina. Os dados de química mineral sugerem que a cristalização das fases máficas ocorreu sob condições excepcionalmente oxidantes para magmas alcalinos. Estudos isotópicos pelo método Rb-Sr apontam para uma razão inicial de 0,710 e idade de 463 112,5 Ma. Os dados interpretados sugerem que esta intrusão pode ser incluída na Suíte Intrusiva Saibro, sendo sua origem explicável tanto pela fusão parcial de rochas metamórficas de alto grau quartzo-feldspáticas, como pelo fracionamento de feldspato alcalino e clinopiroxênio a partir de líquidos traquíticos de origem mantélica. A atuação de processos hidrotermais pode ter modificado a razão inicial 87Sr/86Sr e gerado mineralizações significativas.

Palavras-chave


Granitos; Granitos tipo A; Granitos alcalinos; Geoquímica; Granitogênese; Litoquímica; Elementos terras raras.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.