UMA ORIGEM EPIGENÉTICA PARA AS NQVAS OCORRÊNCIAS DE SCHEELITA E VOLFRAMITA, NO MÉDIO VALE DO JEQUITINHONHA; MINAS GERAIS, BRASIL

RUI L.B.P. MONTEIRO, OTHON H. LEONARDOS, JOSÉ MARQUES CORREI A-NEVES

Resumo


Dois tipos de mineralizações foram reconhecidas no Médio Vale do Jequitínhonha (MJV): 1. scheelita associada com níveis cálcio-silicáticos nos micaxistos regionais e 2. veios de quartzo portadores de volframita e scheelita em rochas xistosas. Dados de campo, petrográfícos, geoquímicos e de inclusões fluidas são consistentes com uma origem epigenética para as mineralizações de volframita. Os fluidos mineralizantes estão intimamente associados com os processos de moscovitização que ocorreram nas cúpulas dos plutões granitóides. Dados de inclusões fluidas mostram que as mineralizações de volframita foram formadas a partir de fluidos de baixa salinidade, ricos em CO2 e CH4. Nos veios de quartzo mineralizados em volframita da região de Itinga, as inclusões de CO2 apontam para temperaturas de aprisionamento na faixa de 300°C - 45O°C, a 2 kbar. A preciptação do tungstênio provavelmente ocorreu à medida que o fluido arrefecia e o pH da solução aumentava por meio da hidròlise dos minerais das rochas encaixantes e/ou por perda gradual do CO2.

Palavras-chave


Mineralizações de tungstênio; Granitóides; Rochas cálcio-silicálicas; Alteração hidrotermal; Inclusões fluidas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.