IMAGENS DO SATÉLITE SPOT-1 EM MAPEAMENTO GEOLÓGICO: UM ESTUDO COMPARATIVO COM VÁRIOS PRODUTOS SENSORES NO VALE DO RIO CÜRAÇÁ, BAHIA

WALDIR RENATO PARADELLÁ, ÍCARO VITORELLO, CHAN CHIANG LIU, JUÉRCIO TAVARES DE MATTOS, LUCIANO VIEIRA DUTRA, PAULO ROBERTO MENESES

Resumo


O advento de novos produtos de sensores remotos do TM-LANDSAT e SPOT, com características técnicas interessantes do ponto de vista de aplicação geológica, mas de custos mais elevados que os do MSS-LANDSAT, levou a necessidade de uma avaliação da performance destes produtos no território brasileiro. A área teste com aproximadamente 900 km2 está localizada no baixo vale do Rio Curaçá, nordeste do Brasil (Estado da Bahia), e é caracterizada por terrenos pré-cambrianos em um ambiente semi-árido. O objetivo do presente estudo é o de comparar qualitativamente o desempenho espacial e espectral de dados SPOT multiespectral e pancromático, em condições de visada oblíqua, com dados do MSS e TM-LANDSAT e fotos aéreas pancromáticas, no contexto de mapeamento estrutural e discriminação litológica. Imagens em papel foram analisadas visualmente, em escalas adequadas a mapeamento regional e de detalhe, e os dados digitais foram submetidos a processamentos de realce e de integração (merging). Adicionalmente, os dados digitais foram normalizados em valores radiométricos com o propósito de detecção de efeitos da visada oblíqua. Valores radiométricos da visada para oeste do SPOT e nadir para o TM do mesmo sítio mostraram diferenças que podem ser atribuídas à maior interferência atmosférica na configuração de visada SPOT. Tais diferenças são maiores nos comprimentos de onda mais curtos e decrescem em direção ao infravermelho próximo, porém sem degradações mais sérias no contexto do presente estudo. Na escala regional, nem SPOT nem TM-LANDSAT, em imagens em papel, adicionaram informações geológicas significativas ao mapeamento anterior baseado em dados digitais MSS-LANDSAT. Contudo, produtos obtidos da integração SPOT/TM (merged) mostraram que discriminações litológicas podem ser melhoradas pela combinação da elevada resolução espacial da banda pancromática do SPOT com as bandas do infravermelho do TM. Do mesmo modo, a visão estereoscópica fornecida pelo SPOT pode ser combinada com produtos TM realçados digitalmente na otimização de interpretação a escalas de detalhe. Enquanto os dados TM requerem processamento digital de custo mais elevado, a visão estereoscópica do SPOT requer imageamentos em visada oblíqua oposta sob boas condições atmosféricas e uma programação com muita antecedência no recobrimento pelo satélite, o que representa dificuldades adicionais na obtenção dos dados SPOT.

Palavras-chave


SPOT-1; Avaliação de sensor; Sensoriamento remoto; TM-LANDSAT* geologia, discri- minação litológica.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.